Pannunzio e o terror do Judiciário

O jornalista Fabio Pannunzio decidiu encerrar as atividades de seu blog devido às pressões judiciais. A gota d’água foi processo movido pelo Secretário de Segurança de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, em virtude de posts críticos à atuação da polícia no estado de São Paulo, notadamente um, intitulado “A indolência de Alckmin e o caos na segurança pública”.

A Justiça ordenou que Pannunzio tirasse o texto do ar. Me parece que foi este, republicado numa página de cunho policial, onde o caso está detalhado.

Quando soube por alto estava longe, e agora procurei me informar melhor. Já sabia que Pannunzio tem posições- digamos – conflitantes em relação à polaridade PT X PSDB, mas até aí normal. Já havia notado também que ele faz parte da turma que bate na polícia com o cassetete da esquizofrenia, isolando SP do resto do país e sem comparar números. Até aí, tudo bem também.

E, quer saber? Estou com Pannunzio. É muito bonito dizer que na democracia a gente resolve as coisas na Justiça, mas há filigranas cruéis nisso aí. Pannunzio sempre manteve o blog por conta própria. Não tem anúncios ou apoio e nem pertence a qualquer grupo poderoso de mídia. Enfim, ele mesmo banca sua defesa, e bancar defesa no BR é abrir mão do que tem e do que não tem para pagar advogados e seus desdobramentos (peritos, etc.).

Não é questão de fazer juizo sobre o conteúdo das matérias de Pannunzio no blog. Posso discordar ou concordar, tantufas. Ainda mais que Fabio Pannunzio não é um alugado, como alguns por aí. O ideal seria discutir, debater, rebater, se defender, coisa que o Secretário não se sentiu instado a fazer.

É bom deixar claro que não foi o governo do estado ou o governador Alckmin quem processou o jornalista. Foi a pessoa do secretário de segurança do estado quem o fez.

Ferreira Pinto poderia achar ruim qualquer textículo saído em editoriais da Folha, ou do JEG, mas voltou-se unicamente para um blog “simples”, sem vínculos financeiros ou grandes organizações a lhe valer.

Eis aí a censura atuando por seu canal preferido: a força do dinheiro.

Anúncios

22 opiniões sobre “Pannunzio e o terror do Judiciário”

  1. Quando o indivíduo quer calar alguém da imprensa independente, ou seja, aquela não ligada aos grandes grupos de comunicação, é moleza: ele entra com o processo, faz um pedido enorme e enche o mesmo processo de incidentes para aumentar o custo exponencialmente.

    Algo absolutamente comum na imprensa do interior, já passei por isso, no jornal aqui do meu pai. Não funcionou aqui porque eu sou advogado, mas geralmente funciona.

    Cabe aos juízes dosarem os custos processuais nessas situações, mas como é uma classe de gente absolutamente alheia à qualquer realidade, eles acabam deixando que o processo se arraste para quebrar o órgão de imprensa.

  2. Exato, Fabio. Olham tão de cima, mas tão de cima, que chega-se a pensar que só enxergam a parte mais “alentada”. Não sou contra ações por motivo de calúnia, e tal. Mas que se observe o equilíbrio da coisa. Sobre o assunto, há processos vários, mas sempre contra uma emissora, um grupo grande. Açãozinha só pra aterrorizar alguém do bloco do eu sozinho não tem graça alguma.

  3. Não é legal alguém ter de deixar de emitir suas opiniões por força e poderio superior.
    Porém, há um verdadeiro massacre de ofensas contra a polícia paulista. Pouco li o referido blog e pouco sei das opiniões externadas pelo jornalista.
    Não trata-se de não aceitar críticas. Muito pelo contrário, julgo que têm de ser ácidas esclarecedoras.
    Porém, mesmo que haja medidas judicias contra a ação da polícia por exemplo, na ruas que chamavam de cracolândia, poucos destacam isso. Estão criticando que as coisas estariam voltando como eram antes, mas não destacam que a polícia foi impedida, judicialmente, de abordar pessoas ali naquela região.
    Agora, voltaram a idolatrar o PCC. Tudo é o PCC, que atua nos presídios, nas ruas, invade as casas e atacam policias etc. Foi preso, entra no PCC e tem de matar roubar para a organização. Oras, os errados são os bandidos e não a polícia. Mas, parece haver um inversão de fatores: o PCC é o tal, a polícia não faz nada, o governador não tem comando etc. Se há tanta gente do PCC presa, como pode ser a polícia tão inativa assim?
    Tem horas que enche o pacová.

  4. E olha, em qualquer buraco de periferia nessa cidade, sempre há alguém falando de PCC. E que alguém foi preso por ser do PCC ou está sendo procurado por causa do PCC.
    Parece ser uma espécie de salvo-conduto ser do PCC. Mesmo sendo da ralé das ralés.
    Qual cidade esse pessoal quer, afinal? Uma cidade sem polícia? Como estão dizendo rappers em shows por ai.

  5. Eu acredito que liberdade da imprensa, imputa também responsabilidade de quem publica as informações. O rapaz gosta de bater, então também leva.Para o tal brogueiro a policia paulista é a pior, ou está sempre errada o Secretário não gostou e foi para o judiciário. Que se sabe não houve violência, foi tudo dentro da LEI.O senhor do blog se sentir prejudicado que procure seus direitos, afinal estamos em uma DEMOCRACIA,ou não?

  6. Lê, sou simpático ao seu ponto de vista simpático ao rapaz. Mas, vamos lá. A turma quer ser o Reinaldo Azevedo, mas não quer aprender a escrever igual ao Reinaldo Azevedo. Não quer estudar o idioma, não quer enriquecer o vocabulário, não quer aprender lógica, não quer conhecer pelo menos o beabá das leis que regem a profissão.

    Em suma, essa jornalistada blogueira quer ser o Assis Chateaubriand. Xingar todo mundo ao sabor da própria oscilação hormonal, argumentar com adjetivos, acusar sem fatos, condenar a partir de ilações a partir de suposições e disse-me-disse.

    Quer saber? Têm mais é que ser processados mesmo. E sair do mercado. Para aprender o valor da humildade, do estudo, do conhecimento.

    É gente tão rasteira e chulé que diz, de coração, que o Reinaldo Azevedo xinga, destila ódio e expressões semelhantes. Dizem de coração porque não sabem identificar um texto com argumentos logicamente encadeados e vocabulário preciso, defensável em qualquer tribunal. É por isso que são processados e perdem até as cuecas.

    Beijos, bem vinda de volta!

  7. Concordo com você, Dawran, tudo agora “tem” a sombra do PCC. Alguma verdade há, mas o tamanho da coisa é pura invenção política.

    Sim, Iolita, só causa espécie o secretário só se mover contra uma pessoa sozinha, e não contra um grupo jornalístico que esculhamba tanto ou mais a polícia.

    Alexis, mas tem gente assim nos editoriais e colunas da Folha, p. ex., não? Estão protegidos por lá?

    Obrigada e bjos!

  8. “Alexis, mas tem gente assim nos editoriais e colunas da Folha, p. ex., não? Estão protegidos por lá?”

    Claro. Esqueci de dizer que vale para os dois lados. Tenho lido tanta asneira nos blogs “jornalísticos” antipetistas que, sinceramente, não será surpresa se levarem um monte de ações judiciais. E, quer saber? Não vou verter uma lágrima. Que sirva de lição. O mercado está mesmo precisando de uma faxina de qualidade, independentemente de opção ideológica.

  9. Nos tempos de faculdade, gostava de uma frase que (repetidamente) ouvia de meu professor de Teoria Geral do Estado: “Democracia é o poder que damos aos piolhos de devorar os leões”. Pelo que vejo, tem piolho se achando suficientemente poderoso para ameaçar os leões. Ingênuos!

  10. Pannunzio acusa o secretário de acobertar ou mesmo participar de crimes gravíssimos. É evidente o direito do secretario de contesta-lo na justiça. Se alguém me acusasse, ainda que obliquamente, de acobertar multiplos assassinatos e ameaçar jornalistas de morte, o tempo para um “debate em torno de ideias” teria acabado…debate? Ok, na frente do juiz…

  11. Olha Leticia, uma coisa gozada que vi num blog. Não vou citar o nome para evitar problemas. Quando iniciou o julgamento do mensalão, o Ministro Relator passou a ser o demônio no referido blog. Hoje, na FSP, o Relator disse que teria votado em Lula e em Dilma, por serem claras “as melhorias”. Pronto. O Relator passou a ser gente fina, com direito a fotos e biografia e babação de ovo. É o tal negócio. Se certos partidos vencerem em São Paulo, a Rota passará a ser a melhor polícia do brics, da oea, da alba, da unasul, da onu, do mercosul…
    Existem milagres!!!

  12. Leticia, respeitosamente discordo.

    Nem entro no mérito do que foi escrito, mas da mesma forma que o blogueiro tem o direito de escrever o que pensa, a outra parte tem o direito de questioná-lo na justiça se sentiu-se lesado.

  13. Pois é. Pannunzio não é aquele leitor de teleprompter da Band?
    O secretário está peitando vira-latas. Aí, fica fácil. Quero ver encarar cachorro grande.
    Difícil é bater de frente com verdadeiros formadores de opinião.
    Ademais, liberdade de expressão tem que ser preservada. Mesmo que os pronunciamentos nos sejam contrários. Fóruns civilizados para exercer o contraditório estão à disposição, é só querer.

  14. Luiz Schuwinski, não acompanhei muito o blog do cidadão, mas, parece, não ser “vira-latas”, não. Tinha seu público e formava opiniões, sim. A polícia já bateu de frente com senador paulista sobre o tal “massacre do pinheirinho”, por exemplo. E é um senador que tem muita “mídia” e da Tribuna do Senado fez discursos fortes. Em audiência pública levou pessoas que diziam terem sido agredidas pela polícia etc. Quando ele foi instado a mostrar a “mulher grávida pisoteada por policiais e as pessoas mortas, pessoas com graves ferimentos”, encolheu, pois não existiam. E isso foi feito pelo comandante da operação e mais outros oficiais, falando em entrevista, ao vivo, aos maiores veículos de imprensa do Estado e do País.
    Houve, sim, pessoas com marcas de bala de borracha, arranhões etc. Policiais foram detidos e sob investigações. Moradores detidos por violência, tal como jogar pedras, atear fogo em barreiras de madeira etc. foram todos librados depois de tratados, ouvidos, cadastrados e hoje devem estar em suas casas cedidas pelo Estado de São Paulo. Havia muita imprensa por lá na ocasião. Porém, nenhum jornalista cobriu “helicópteros metralhando pessoas”, ou “casas sendo dinamitadas com moradores dentro”, nem “hospitais da região lotados de feridos graves”.
    Na realidade, o que há, é um esporte: acuse seu policial hoje.
    Isso acho absurdo. Pois, se mudar o governo, essas coisas, como por encanto, sumirão da “mídia”. Só ocorrem problema coma polícia do governo atual. Com os outros governos não. Oras, isso é querer fazer os cidadãos de palhaços.

  15. Sua opinião é sempre respeitável, Dawran. Mas, veja: sendo Pannunzio homem de televisão, seria mais lógico e coerente que o secretário solicitasse espaço para esclarecimentos no noticioso televisivo em que o jornalista trabalha. Garanto que nem Mitre ou Boechat, como diretores, negariam a justa exigência.

  16. Enviei um texto do panunzio malhando o governo federal a um amigo, que me retornou em seguida com o texto em questão. Confesso que achei pesado, com várias acusações contra a pessoa do secretário. E até procurei algo visivelmente errado na instituição que justificasse as graves denúncias. Não sei se condeno o secretário pelo processo, pois o jornalista fez sérias acusações contra ele. Se acho bom ver o PHA ser condenado por racismo no caso do Heraldo Pereira, não posso discutir a decisão do secretário. O Panúnzio é que tem que se explicar, ou achar na imprensa matérias que levaram ele a formar a opinião emitida no texto. No mais, é uma pena ver um blog sem o famoso viés progressista (entenda-se, patrocinado por estatais) sair do ar.

  17. Creio, Luiz Schuwinski, que neste ponto estamos de pleno acordo.
    Como citei o caso da entrevista na qual o policial pediu provas e esclarecimentos ao senador, que não os deu. Mas você tem razão. Pedir direito de resposta, indagar por provas, que é dever de quem acusa, seria ótimo. O Governador, inclusive, poderia convocar redes de rádio e TV para esclarecer a população e pedir que apresentem provas de maus ratos e de bons tratos.
    Uma outra coisa que acho ótimo, seria pegar esses idólatras do tal pcc e levá-los para um tour onde estão presos. Lá poderiam ler Nietzsche com a liderança do tal grupo, depois, uma passada nas casas deles para conhecer os filhos, as esposas, os pais e demais parentes. Ver como vivem, como estão as notas das crianças nas escolas, se recebem alguma bolsa do Erário. Mostrar também qual o dispêndio do contribuinte com esses heróis de fancaria, concorda? Muita gente acha que eles vivem pendurados em correntes na cadeia. Ou que mandam em tudo lá dentro. E nem sequer pensam em quem paga essa conta toda. E nem como possa estar vivendo as famílias dessas pessoas. Ai é que está parte dos problemas: a desumanização de quem é morto e de quem mata, entende? Só que quem mata vira herói.

  18. Verdade, Dawran. Com a inversão de valores vigente, “direitos humanos” só pra bandidos. Enquanto os delinquentes são afagados pelos Lancellotis da vida e assemelhados, as vítimas são remetidas a um ostracismo injusto e criminoso pelas autoridades constituídas.

  19. Entonces, Alexis, é a isso que me refiro. Não acho que Pannunzio seja um jerereca, mas ele também tem ataques de esculhambação pesada, inconsequente e bem lugar-comum na imprensa paulistana. Até estranho, porque tenho pra mim que quem trabalha em grandes grupos tem oportunidade de acesso a informações corretas, sem precisar lançar mão de jornalismo de tabloide. Mas por que só ele a ser processado? E por que, tarimbado como é, achou de lançar essa abobrinha?

    Não é, Xico? De piolho em piolho, destroem-se reputações à larga.

    É, Vladimir, mas a MRKehl, por exemplo, fez acusações à polícia paulista tão ou mais graves. Valeu apenas uma nota tímida do governo.

    Bem, Schu, está certo que o blog ele fechopu porque quis. Mas não acho justo que se mande tirar o post do ar, por mais aloprado que seja. É censura.

    Mudar governo, Dawran? Toc Toc toc! Mas veja, tb. o senador não foi processado, nem quem se autovitimou a troco de um sanduba + suco.

    Schu, Mitre negaria, sim. Nenhum grupo de comunicação pode endossar o que seus empregados dizem por aí, a não ser a trabalho.

    Claudio, concordo. Ele que embase suas acusações, o que poderia ter feito no próprio post. Falar, falar, falar eu tb. consigo…

    É esse mesmo, Rommel. Inclusive não faz muito tempo fez limpeza nos dentes…

  20. Ontem o Jornal da Band abriu com ele falando sobre as mortes diárias entre civis X PMs. Havia um quase imperceptível riso em seus lábios.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s