A medicina marromenos a seu alcance

Do Estadão:

Os médicos do estado de São Paulo vão paralisar o atendimento a pelo menos 12 planos de saúde a partir da próxima quarta-feira (10). Até o dia 18, apenas as urgências e emergências serão mantidas. De acordo com a Associação Paulista de Medicina (APM), do dia 11 ao dia 17, a greve será feita em esquema de rodízio, ou seja, apenas determinadas especialidades deixarão de ser atendidas em cada dia.

De acordo com a entidade, o atendimento será suspenso no grupo de operadoras “que não aceitaram negociar com a classe médica ou não enviaram propostas suficientes até o momento”. Os planos inicialmente afetados serão Golden Cross, Green Line, Intermédica, Itálica, Metrópole, Prevent Sênior, Santa Amália, São Cristóvão, Seisa, Tempo Assist, Trasmontano e Universal. A lista completa será apresentada no próximo dia 9.

Nos dias 10 e 18 todos os médicos credenciados aos planos de saúde alvo da ação farão paralisação. No dia 11 serão afetadas as áreas de ginecologia e obstetrícia, anestesiologia e cardiologia; dia 15, endocrinologia, cirurgia de cabeça e pescoço, e pneumologia; no dia 16, ortopedia e traumatologia, angiologia, cirurgia vascular e medicina do esporte; e no dia 17, endoscopia, dermatologia e alergia, e imunologia.

“São Paulo está em consonância com o movimento nacional, que terá ações em diversos estados e regiões. O mês do médico será marcado pelo posicionamento firme da classe em busca da valorização de seu trabalho, sempre em prol do atendimento de qualidade aos pacientes”, destacou o presidente da APM, Florisval Meinão.

Em São Paulo, a pauta de reivindicações inclui o aumento do valor da consulta para R$ 80, a atualização dos valores cobrados pelos procedimentos conforme a Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos, e o reajuste desses valores a cada 12 meses.

Enfim, pela lista preliminar apresentada, são os planinhos, aqueles que muitos de nós alimentamos com mensalidades estratosféricas e que só oferecem tratamento de resfriado.

Na hora em que você precisa de um atendimento mais especializado, bora entrar numa via-crúcis de burocracia e humilhações, passando até pelo terror do tal cheque caução, como se o pagamento em dia de suas mensalidades não bastasse para comprovar idoneidade.

Isso se você não for jogado pro SUS paulistano, naquela horinha em que precisa tratar uma doença mais grave e seu plano simplesmente não tem equipamento para exames complexos ou não quer pagar cirurgia/internação.

Hospitais de São Paulo já tentaram ajeitar essa situação, mas opositores e governo entenderam tudo errado e barraram, preferindo medidas populistas a enfrentar os planos de saúde.

 

Anúncios

12 opiniões sobre “A medicina marromenos a seu alcance”

  1. Tem várias questões relacionadas à estas postulações dos médicos.

    a) Alguns planos de saúde quintuplicaram sua base de clientes nos últimos 10 anos;
    b) Em contrário de qualquer lógica capitalista, isso não manteve os preços de mensalidades que, claro, aumentaram exponencialmente;
    c) A base de médicos credenciados aumentou abaixo da demanda;
    d) E aconteceu o “c”, basicamente porque os planos não reajustaram o valor dos honorários médicos, que são hoje, parecidos com os que eram praticados 15 anos atrás.

    Hoje, os planos de saúde mais renomados pagam a um médico algo entre R$ 20 e R$ 40 reais de consulta, menos do que eu, um reles advogado que atende em anexo a um escritório de contabilidade, cobro por uma consulta.

    Mas há mais pelota nesse angú. Tenho um amigo/cliente, cardiologista, que arbitrariamente foi informado por um dos planos de saúde que atendia, que seus honorários seriam cortados em 40% sem nenhuma justificativa direta. Conversando com pessoas ligadas ao plano, ele descobriu que o tal plano DESCONFIAVA que os cardiologistas estavam ganhando comissões de clínicas de exames, razão pela qual pediam muitos exames, o que justificaria o desconto em sua remuneração. Ou seja, os planos, além de não remunerarem corretamente, ainda estão condenando os médicos por crimes que supõe que eles cometem!

    Conheço esse meu amigo/cliente. Ele paga um caminhão de impostos todos os anos, mais que muita empresa que tem 4 ou 6 funcionários. Não vai nada, tem ano que ele paga 50 mil reais só de IR, e além de ser um bom médico, um médico conceituado, que estuda, que todo ano faz atualizações e que pede os exames que conclui que deve pedir em favor da saúde do cliente. Não é justo ele receber R$ 20 reais por uma consulta, porque o conhecimento dele vai muito mais que isso. Não é justo ele ter seus honorários cortados porque algum imbecilzinho formado em administração em faculdade pagou-passou de fim de semana resolveu fazer ilações contra ele.

    O sistema privado de saúde está piorando a cada dia, virou um SUS administrado por entidades onde os diretores voam de jatinho particular, usam carros importados de luxo e despacham em prédios cheios de mármore e granito, enquanto as pessoas são mal atendidas, tão mal atendidas que dependendo da situação, seria mais aconselhável procurarem o sistema público.

  2. 20 paus, 40 paus a consulta, sai mais barato pro médico e pro paciente se entenderem e deixar o plano de fora. Se fôssemos um povo organizado isso estaria resolvido há muito tempo.

  3. O problema é que não é justo, Leticia.

    Meus sogros por exemplo, pagam R$ 2000,00 por mês de plano de saúde, estão na faixa dos 80 anos.

    Como é que vão pagar mais 180, 200 reais por uma consulta, quando necessário?

  4. Mas é justamente isso: larga o plano e paga só consultas e exames, sai mais barato. Em seis meses de economia, dá até pra pagar uma cirurgia (não será o caso de seus sogros, pq Deus é grande e eles se cuidam).

    Aí você me diz: e uma emergência? E eu digo que será o msm problema tendo o plano…

    É claro que este é um raciocínio estatisticamente grosseiro, mas se todo mundo se unisse…

  5. Seu argumento até pode ser válido Leticia. Ir ao médico e negociar tudo, da consulta aos exames até aos procedimentos mais complexos. Em casos de cirurgia, idem. Negociar com o hospital onde o próprio médico possa, por exemplo, realizar cirurgias. Não será todo mês que serão gastos mais de R$ 3.000,00 entre consultas, exames e cirurgias. Poderá até ser parcelado no cartão em muitos casos.
    É um caso a pensar, sim.

  6. Dawran, e acho que médico cobra 200, 300 pilas por consulta particulê pra compensar os trocadinhos do plano de saúde, sabe? Se não houvesse esse intermediário sujinho, dava pra puxar o preço p baixo.

  7. Eu fiquei sem convênio de 2006 até o final de 2010. Neste período usamos (eu, esposa e filhas) muito o SUS e os (ou as) AMAs, e posso dizer que fomos bem atendidos. Esperas razoáveis (20, 30, 40 minutos), consulta médica de qualidade, exames básicos e em várias vezes saímos do ambulatório já levando os remédios prescritos, gratuitamente. Em algumas ocasiões optamos por médicos particulares, mas devido ao custo não pudemos, em setembro de 2010, realizar o parto de minha esposa na rede particular. Fomos de SUS mesmo e, olha só, fui agradavelmente surpreendido pela qualidade e eficiência do atendimento. A maternidade tinha o ambiente do, por exemplo, Santa Joana? Não, mas era limpa, não tinha superlotação, parto correu bem, a criança foi bem cuidada. Mamãe e bebê saíram de lá bem, levando a bolsa com cobertor e o excelente guia do kit “mãe paulistana”. Percebo ai um envolvimento conjunto de estado e município, muito bom.

    Olha, eu não sei a situação nos bairros mais longínquos, mas a minha percepção é de que o SUS em SP está bem distante daqueles casos escabrosos que vemos no noticiário, em outros estados.

    Para efeito de comparação: A partir do final de 2010 voltamos a ter convênio. Há poucas semanas levamos nossa pequena a um hospital conveniado perto de casa, e a espera para o pronto atendimento pediátrico era de QUATRO HORAS!

    Mais recentemente, a pediatra dela pediu alguns exames que teriam que ser feitos em hospital. Perguntou a que hospital pretendíamos ir. Citamos A e B, dois particulares da região (Moóca). Ela nos disse para dar preferência ao B. Manifestamos surpresa porque o A é uma unidade relativamente nova, na zona leste, de um hospital famoso. A resposta dela: na nossa região o melhor hospital para atendimento pediátrico era do SUS, o Cândido Fontoura, hospital referência.

    Embora obviamente torcemos para não precisar, sabemos que crianças vez por outra terão uma febre mais alta ou algum outro desarranjo, aí os pais tem que recorrer a algum pronto atendimento. Pensamos seriamente em desprezar a rede conveniada e recorrer a este hospital, na próxima vez que isso ocorrer.

  8. Outro aspecto dessa situação que também vale a pena comentar: Outro dia, no trabalho, ao discutir planos de saúde, fizemos alguns cálculos. Estávamos em seis pessoas. Somando dependentes, formávamos um sub-grupo de 18 pessoas, dentre as centenas de funcionários e seus dependentes que a empresa tem. Nosso empregador paga um valor que presumo ser de mercado, mensalmente ao plano de saúde, por cada uma dessas pessoas. Alguém perguntou: quantas vezes vocês ou os dependentes usaram o plano neste ano?

    Eu: 4 vezes, incluindo exames de sangue, urina e raio-x
    Colega 1: 0 vezes
    Colega 2: 2 vezes, incluindo exames de raio-x
    Colega 3: 2 vezes, sendo uma um procedimento para retirada de um cisto sebáceo.
    Colega 4: 0 vezes
    Colega 5: 2 vezes – consultas de rotina.

    Supondo que a empresa pague – vou chutar baixo porque é uma grande contratante e consegue preços melhores – 250,00 por mês para cada uma das 18 pessoas desse subgrupo. Então, de Janeiro a Setembro a operadora do plano de saúde recebeu R$ 40.500,00. Esse subgrupo rendeu esse valor a eles, e eles tiveram custos com: 10 consultas “simples” (de consultório), 1 procedimento cirúrgico de pequeno porte (subcutâneo), 3 exames de raio x, um de urina e dois de sangue.

    Considerando o que eles pagam aos médicos, tem um lucro enorme ai.

  9. Iolita, eu ando combatendo a velhice com caminhadas e sem excessos alimentares. Ponto.

    Célio, a verdade é que plano de saúde baixou muito de qualidade, inclusive por causa da massa de gente que entrou na classe C. Eu tb. uso o SUS. Não é um luxo, mas não difere de um plano de saúde comum. O engraçado é que, à exceção desta que vos fala, todas as pessoas da minha família têm acesso a planos de saúde fantásticos. De todos os hospitais sofisticados da cidade, acho que só não entrei no Einstein. O resto é tudo muito bacana. Mas é tal negócio: é bacana porque é para poucos. Não existe o “bacana universal”. O universal deve ser duigno e eficiente, e só.

  10. Leticia
    Concordo com você.
    O que é preciso levar em conta é que nenhum médico é obrigado a se filiar à um plano de saúde. Ninguém os pega pelo pescoço e obriga a atender por um determinado plano.
    É a mesma coisa que falo de funcionalismo Público. Não tá bom? Cai fora oras. Vai ver quanta gente aparece se abrir concurso para o lugar dele.
    Isso é o Rei Mercado.
    Eu quando não estou satisfeito com o que ganho peço as contas e vou procurar quem paga mais, simples assim.
    Portanto acho essa greve uma canalhice independente do mérito se o plano pode pagar mais ou não.
    Um amigo meu, cardiologista, veio com essa mesma lenga lenga. perguntei quanto ele cobrava a consulta particular. R$ 350,00. Sugeri que largasse o plano e só atendesse particular. A Resposta foi de que as pessoas não podem pagar a consulta. Minha sugestão foi de que, ao invés de cobrar R$350,00 cobrasse R$ 80,00 e só atendesse particular. Aí me veio com a conversa furada de que não podia se desvalorizar assim. Conclusão: Querem mesmo é que os planos de saúde nos explore para ganharem mais. Assim não dá né?
    Mas por querem ganhar muito por consulta somos obrigados apagar uma nota preta para os planos de saúde.
    Se os médicos cobrassem valores razoáveis, os planos de saúde faliam, eles eliminariam o intermediário e acabava o problema.
    Tenho uma amiga médica que não é conveniada a nenhum plano e é difícil marcar hora. Ela trabalha todos os dias até 9/10:00 da noite.

  11. Não é, Tea Party? Supondo uma consulta de 15, 20 minutos (média pra lá de boa na grande maioria dos casos). Se cobrasse quarentinha, em uma hora o cara embolsava 120 reais. Em um dia, no mínimo 960 paus. Vezes 20 dias por mês, 19.200 reais. Tá boa, nega?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s