Rapeiros, ou a Aufklarung paulistana

Bafafá de hoje foi o uso em site oficial, pelo candidato Fernando Haddad, de um vídeo em que rapeiros se dão ao trabalho de compor uma musiqueta contra José Serra (mas, como os rapeiros tem um pensamento pra lá de elevado, se dizem acima de qualquer partido político, viu?, só avisando).

No vídeo, esculhambam José Serra. Dizem que ele nunca ligou pra nóis, que nóis só recebeu a visita é da PM, porque não sei quem reclamava de som alto, que Serra roubou o projetinho de rap deles, que burocratizam a cultura (@#!???), que Serra tem nojo deles, que só se faz de bonzinho em época de eleição, que a passági custa 3 reáu. Para ilustrar o vídeo, colocam Serra ao lado de Hitler, utilizam imagens adulteradas em charges, de Serra como vampiro, e tal, sempre levantando o dedo médio. Aquilo tudo que todo mundo está cansado de conhecer – um discurso muito inovador e proativo.

Mas a crítica está acima de qualquer partido político, é sempre bom lembrar.

Os tais rapeiros ficaram mordidos porque no site de José Serra fala-se do Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, na Vila Nova Cacheirinha. O espaço de 8 mil metros quadrados, inaugurado em 2006, funciona intensa e democraticamente desde então. Abriga, naturalmente, vários projetos, inxcrusívellll esse tal festival Reviva Rap, que está em sua segunda edição. O texto não afirma em nenhum momento que Serra é rapeiro ou que inventou ou produziu o tal festival.

Mas a crítica rapística – nunca é demais frisar – está acima de qualquer partido.

Vai daí que um webaloprado-que-ganha-uma-merreca-e-não-dá-bom-dia achou por bem de usar o tal vídeo no site de campanha de Haddad. Trocando em miúdos, é um candidato chamando o outro de nazista, e daí foi aquele perepepé de sempre – tiraram o vídeo do site, Haddad disse que não deu autorização, que mandou o sero mano embora, blá blá blá. José Serra reagiu com um bocejo, dizendo-se nada surpreso porque o PT age assim mesmo, e tal. Certamente se lembrou de Marta Suplicy e o é-casado-tem-filhos? homofóbico, usado por ela em campanha contra Kassab – e que surtiu op efeito contrário nas urnas.

Mas, é sempre bom reiterar, os rapeiros fazem suas críticas acima de qualquer interesse partidário.

Vai ver foi por isso que encresparam com Serra por ter criado um centro cultural na Cachoeirinha, não é mesmo?

Agora, eu fico aqui encafifada porque, se o vídeo não tem interesses partidários, por que será que os referidos rapeiros não acharam nada demais em Haddad usá-lo na mão grande em seu site de campanha?

Ou será que não foi tãããão na mão grande assim?

Como será que se sentem os rapeiros, em sua tão humirrrde e digna posição suprapartidária, ao perceber que foram usados em UM MONTE de sites de esquerda como se tivessem sido usados por Serra?

Só a perguntinha…

Falando em passági a 3 reáu, quanto custa um show de rap, hein?

Anúncios

14 opiniões sobre “Rapeiros, ou a Aufklarung paulistana”

  1. Primeiramente, esses caras não sabem o que Hitler representou para compará-lo com quem quer que seja. Se você perguntar para eles o que aconteceu com os judeus entre os anos 30 e 40 não saberão, como não saberão dizer quais foram os crimes de Adolf e porque ele é considerado um símbolo de maldade. Vão apenas dizer, “ele era nazista, ele era nazista!!!”.

    Ora, não sabem nem o ululante sobre o genocídio que Hitler cometeu, a frieza com que mandou pessoas para a tortura e a morte certas e dolorosas, e se arvoram no direito de chamar alguém de “nazista” porque pagam 3 reais pela passagem de ônibus, como se o transporte público não fosse caro pelo fato de que muitos deles pulam a catraca sem pagar ou, pior, vandalizam os ônibus e as composições por diversão.

    Não admitem os crimes que muitos deles mesmos cometem, mas apontam o dedo sujo e gritam “nazista”!!!

    Isso não é democracia, isso é estupidez!

  2. Amén, Fabio Mayer, amén!! Se, em vez de ficar lendo babaquices eduardogaleanas, eles lessem um bom livro de História Mundial, saberiam o que o Adolfito Matamoros fez na Europa, nas décadas de 30/40, incluindo mandar para campos de concentração pessoas como os distintos rapeiros. Ah, alguém pode esclarecer os jovens roqueiros que seu “ídolo” cheguevara ODIAVA roqueiros e mandava-os para campos de concentração, também? Equivale, mais ou menos, a essa que vos escreve, católica, usar uma camiseta com a carinha do Poncio Pilatos ou de Barrabás.

  3. Ora, os “rampeiros” representam a escória da sociedade. Este tipo de rebotalho humano está por trás das pichações, das depredações do patrimônio público, do vandalismo, das agressões nas escolas e das drogas, passando pelo incentivo ao crime implícito em seus repentes de ‘pé quebrado’.
    Sem contar que, de suas fileiras, saem grande parte da população carcerária do país.
    Qualquer pessoa minimamente civilizada nutre um profundo desprezo por essa corja.
    E quem arrebanha essa malta pra fazer militância política é pior ainda.

  4. Fábio, o transporte é caro porque eles moram longe pra dedéu! E, cá pra nós, dá um fastio, porque todo rapazola que passou a vida matando aula e agora recrama das condição sociáu é dose, né? Quando crescem ou viram nazi ou isso aí que você vê: metralhando subideias a torto e a direita, todas ouvidas no botequim. Ler um livro que para em pé, como sugeriu inocentemente Maria Edi, nada!

    Virá mais, Dawran, pode apostar. Haddad já veio com abobrinhas sobre metrô, coleta seletiva, nazismo porque Serra fez um centro cultural bem-sucedido na Cachoeirinha (pra quem não sabe, um bairro de periferia). Tá faltando chamar ele de assassino na área da saúde, higienista na área de moradia, poluidor, corrupto (pera aí que deve estar saindo um dossiê quentinho) e, claro, insinuar que ele é gay, homofóbico e batedor de mulher.

  5. Acho que o paulistano já criou uma certa alergia à craca vermelha.
    Depois da Erundina e da Marta Suplício, passando por sindicalistas berradores e sem conteúdo feito Lulla, só resta ao PT botar o rabinho entre as pernas e ficar restrito aos corredores palacianos em Brasília. Ou afogar as mágoas nas adegas da “Granja dos Tortos”!
    Quanto a Serra, de Nosferatu só tem a careca e as olheiras. No mais, mastiga alho e se agarra num crucifixo. A estaca ele crava nos adversários com a vitória final!

  6. Pois é. Mais uma vez as respostas vêm aquém das agressões. A desculpa, mais esfarrapada, é que “o responsável” foi demitido…Oras…e daí? Justificativa mais fajuta não poderia existir. Todo mundo sabe disso.

  7. Schu, é trabalho demais. Ando num ritmo de trimestre sim, trimestre não, e tem trabalho que prefiro fazer de uma vez, sem grandes interrupções, senão perco o fio do padrão. Será meio assim nos próximos dias, infelizmente.

    Quanto à alergia paulistana, pode apostar. E o PT ainda não percebeu que, quanto maior a baixaria, pior pra eles. Eu não sei o que eles imaginam da cidade, mas essas coisas não colam (mais) aqui. Eu, hein? As desculpas posteriores não surtem tanto efeito quanto o fato em si.

    Dawran, veja a arrogância nacional: medalha de prata não vale, é algo mais acintoso se tivéssemos ficado pra trás lá no início.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s