Lula – qualquer divã serve

Enquanto o pedreiros aqui de casa (um do Piauí – seu Ediválter – e outro do Ceará) me contavam de seu descontentamento com um tal angolano traficante lá da avenida São João que reclamava de São Paulo, Lula despejava toda sua pobremática de mulambinho que “venceu”, contra a zelite (a de São Paulo, por óbvio) e aquela papagaiada toda de quem merece umas boas sessões de psicanálise (que não sei se dariam certo. É o tipo de ressentimento que nem a equipe médica do Sírio-Libanês conseguiria extirpar).

Pois bem, Reinaldo Azevedo nele!: (reproduzido na íntegra)

Luiz Inácio ApeDELTA da Silva recebeu ontem à noite, na Câmara Municipal de São Paulo, o título de “Cidadão Paulistano”. O combinado é que seria a primeira de uma série de solenidades para alavancar o nome de Fernando Haddad, o candidato à Prefeitura que ele impôs na base do dedaço. Parece que a coisa não saiu como o esperado. No discurso, o ex-presidente se referiu uma única vez a Haddad, que estava na plateia (”o maior ministro da Educação que este país já teve”, claro, claro…), e preferiu usar seu tempo para atacar as elites… A cascata de sempre. Presente, a senadora Marta Suplicy (PT-SP), que teve a sua pré-candidatura cassada por Lula, discursou. Disse que o novo pelo novo (leia-se: Haddad), por si, não significa nada; o importante é um “programa novo”. Para o ungido do Babalorixá, foi um anticlímax… E não se tinha ali o melhor… quero dizer, o pior da noite.

Lula voltou a se referir ao mensalão e ressuscitou a tese vigarista, obviamente falsa, de que aquilo tudo não passou de uma mancomunação da oposição com a imprensa para derrubá-lo. Uma tentativa de “golpe”, disse de novo. Deve-se entender, assim, que tanto a Procuradoria-Geral da República, que apresentou a denúncia, como o Supremo Tribunal Federal, que a recebeu, são partícipes dessa conspirata. Relembrando as próprias palavras, o ApeDELTA afirmou que a oposição só não deu prosseguimento ao impeachment — nunca houve movimentação efetiva nesse sentido; é mentira! — porque ficou com medo da mobilização popular. Isso também é falso. A aprovação de Lula, naqueles dias, estava pouco acima dos 50%. Ademais, entre aprovar e sair às ruas fazendo barricadas, há uma grande diferença.
Mas o recado é claro! Lula acredita dever a manutenção de seu mandato apenas ao “povo”, entendido, na sua visão perturbada, como o outro lado das “instituições”. Afinal, se oposição, imprensa, Ministério Público e Supremo participaram de uma conspiração, só restou mesmo uma instância de verdade no país: o PT — e, obviamente, os que se aliaram ao partido.

O ex-presidente comanda, de maneira nem tão clandestina e com pressões nada sutis, o esforço para cassar moralmente o direito de o Supremo julgar com isenção os mensaleiros. A fala de ontem, repetindo boçalidade antiga sobre um golpismo que nunca existiu, é parte da pressão. Até o seu discurso de agradecimento, que volta a fazer a velha clivagem vigarista entre “povo” e “elite”, é fração desse esforço. Lula quer que o país acredite que condenar José Dirceu por “formação de quadrilha” é um atentado aos interesses populares…

Incrível este senhor! Contrariando mais uma promessa solene que fez — e ele é o rei do descumprimento de promessas (já me estendo a respeito) —, está sendo muito pior como ex-presidente do que foi como presidente. Explico-me: na Presidência, mesmo tentando coisas novas e ruins, acabou, felizmente, limitado pelas coisas antigas e boas. Não encontrou o país como seus amigos Hugo Chávez, Rafael Correa, Evo Morales e o casal Kirchner encontraram, respectivamente, a Venezuela, o Equador, a Bolívia e a Argentina — com a institucionalidade em frangalhos. Ao contrário: em razão da conjuntura internacional, a nossa economia não ia muito bem, mas havia plena governabilidade. Na verdade, os oito anos do governo FHC haviam sido um período de institucionalização de procedimentos. Em muitos aspectos, O TUCANO INVIABILIZOU O QUE SERIA UM GOVERNO TIPICAMENTE PETISTA. Lula teve de seguir o modelo.

Tentou inovar na área das liberdades democráticas? Tentou, sim! Esforçou-se para diminuí-las, propondo ou endossando, por exemplo, mecanismos de controle da imprensa — esta mesma que ele continua a atacar ainda hoje — e demonizando os órgãos que vigiam o governo. Mas acabou sendo malsucedido nesses intentos. Os marcos legais que encontrou ao chegar ao poder o obrigaram a uma gestão dentro das regras — e essa foi, obviamente, a sua sorte. Não foi um Chávez não porque não tivesse disposição e caráter para tanto — lembre-se de que ele é o autor de uma frase fabulosa: “Nunca houve tanta democracia na Venezuela como agora”; não foi um Chávez porque as leis brasileiras não lhe permitiram ser e porque a sociedade, mesmo aprovando sua gestão, recusa expedientes autoritários.

Sem regras Se teve de ser um presidente segundo as regras — o que o obrigou a jogar no lixo o programa do PT, para sua glória e nossa sorte! —, pode agora ser um ex-presidente sem limites. Há dois meses, comanda um esforço brutal para tentar impedir que se investigue a fundo o esquema Delta — de que Carlinhos Cachoeira era só um operador local, do Centro-Oeste. Há dois meses, lidera a palavra de ordem para levar a imprensa para o banco dos réus, esforço malogrado porque se percebeu a tempo a pilantragem, esta sim, golpista: junto com o jornalismo, Lula queria desmoralizar o Ministério Público Federal e uma parte do Supremo.

Ontem, realizou-se uma reunião da casa do deputado Maurício Quintela (PR-AL), sob o comando dos petistas, com um único propósito: impedir que a CPI investigue a Delta nacionalmente, mantendo o foco só no Centro-Oeste e nas relações da empresa com Carlinhos Cachoeira. O Lula que quer fraudar o passado é o mesmo que frauda o presente para impedir que o país se livre de alguns larápios que têm tudo para infelicitar o seu futuro. O contraventor e suas franjas no Congresso e em governos têm, sim, de ser investigados e, estabelecidas as culpas, punidos. MAS JÁ NÃO HÁ DÚVIDA NENHUMA DE QUE O NOME QUE DESPERTA PÂNICO NO PT E NA BASE GOVERNISTA É UM SÓ: DELTA!!!

Tenho escrito alguns textos sobre a tal “Comissão da Verdade” e sua vocação natural, desde o nome, para a mentira. Não é impressionante que se tenha instalado algo assim em dias como esses? Não é impressionante que uma comissão que pretende estabelecer a “verdade oficial” sobre fatos ocorridos há quase 50 anos seja contemporânea e cria de um líder político que nega a existência de um crime escancaradamente provado? Não é impressionante que atue firmemente para impedir a apuração de outros tantos crimes?

O bem que Lula pode ter feito ao Brasil foi sem querer — a institucionalidade que herdou o fez em seu lugar. Já o mal que faz é deliberado, consciente, por querer. Sabem por quê? O Lula que governou não pôde ser plenamente petista. Já o ex-presidente o é em sua plenitude.

Anúncios

19 opiniões sobre “Lula – qualquer divã serve”

  1. O bom é que ele relembra, sempre que pode, que o mensalão existiu.
    E ainda a novidade, que seria novidade, não veio ainda desta vez: a ex-prefeita não deu seu apoio ao colocado pela garganta adentro do partido do governo federal como candidato a prefeito da Capital.
    O resto, é sempre o menos a cada vez. É assim que pretendem vencer, considerando os cidadãos como uma massa informe e desinformada.
    Pareceu mais um discurso de derrota.

  2. Você veja que nem Marta nem Lula são políticos. São só eles e seus egos. Por isso eles não entram aqui. Não convencem nem o seu Ediválter.

  3. Leticia, na realidade, quem está desmentindo o sucesso do governo do ex-presidente é o atual governo, que está fazendo tudo como se não houvesse nada antes. Vide as medidas editadas ontem para estimular o consumo de bens duráveis, como automóveis de passeio.
    Porém, o que pode ser chamado de continuidade é o voluntarismo, os gastos públicos crescentes, praticamente o abandono do sistema de metas inflacionárias, câmbio flutuante e superávit primário.
    Ou seja, de um lado estimula o endividamento das pessoas e de outro eleva os gastos e desonera setores de impostos.
    Ao que tudo indica, será mais um exercício de crescimento baixo e inflação alta.

  4. Isso nos remete àquela ‘estória’ do caminhoneiro que dirigia o pau-de-arara que trouxe Lulla e sua troupe para ‘Sumpaulo’.
    Dizia ele: “Se eu soubesse em que aquele moleque mijão se transformaria, eu teria deixado ele e seu irmão no meio da caatinga fazendo suas necessidades e partido o mais depressa possível”! Ah, se não fosse os escrúpulos do velho cabra-da-peste…hein?

  5. E por falar em divã, o ex-presidente falou que “…fazer pobre andar de avião é difícil”(…), talvez querendo vangloriar-se do sucesso distributivo de seu governo, esquecendo-se de que viajar de avião nunca foi proibido para ninguém.

    Por outro lado, notícias apontam “…Juro do consignado para aposentado pelo INSS deve cair…”, talvez para arrancar mais o couro de incautos. Esqueceram de dizer que há muita gente tentando devolver os carros que compraram, por incapacidade de pagar as prestações.

    E o ministro da Fazenda dizendo que “…o governo está avaliando medidas para reduzir a inadimplência no país…”, sem explicar como, quando, onde, porque e para quem. Esqueceu de dizer que uma boa forma de reduzir a inadimplência é o cidadão poupar e só comprar o absolutamente necessário.

  6. “Juro do consignado para aposentado pelo INSS deve cair” – e os telefonemas do pessoal do BMG vão aumentar aqui em casa … Como eles sabem do meu status de “vagabunda”, como diria FHC (se é que ele disse isso, mesmo)?

  7. Lulla foi o rei das greves dos pátios cheios. Desde os anos 70 quando as vendas caiam e as indústrias queriam aumentar os preços chamavam o ApDelta e negociavam uma greve.
    A ANFAVEA (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) agradecia regiamente.
    Só quem perdia eram os metalúrgicos e o povo.
    Esse é o legado do jumento de Garanhuns. Nunca fez nada diferente do que mentir e enganar os trouxas.
    Odeio esse molusco desde criancinha.
    Lula, só morta e bem passada.
    Povo ignorante, burro e idiota.

  8. Maria Edi,
    Cuidado se for contratar empréstimos…hehehehe…
    Mas, FHC falou a frase. Só que dentro de um contexto de reforma e estabilização da Previdência, que estava deficitária.
    Era o tempo em que pessoas pagavam o INSS pelo mínimo e faltando um certo tempo, coisa de dois ou um ano para aposentar-se, quem tinha recursos, aumentava as contribuições, para aposentar-se perto do pico de aposentadoria.
    E muitos do serviço público e do privado. que reivindicavam aposentadorias especiais, com menos de 5o anos, num País pobre, onde a Previdência é no regime de repartição e não de capitalização. Ou seja, os pagamentos são feitos com base nos recolhimentos de quem trabalha e recolhe a previdência.
    Ai, por ocasião da discussão do fator previdenciário e de reformas para sanear a Previdência, FHC e seu governo estavam sendo, injustamente criticados, como “surrupiadores” dos aposentados.
    Foi em tal contexto que ele citou a frase. Mas os vagabundos não eram os aposentados, logicamente.

  9. Bem, se brasileiro não pode ver dinheiro na frente que logo sai pra torrar tudo em potencial sucata, problema dele. Quem não vive com o próprio orçamento nunca tentará melhorá-lo, e assim continuamos imersos no miserê travestido de shopping.

    (E, engraçado: os shoppings são tão bonitos, prometem deixar todo mundo maravilhoso e… porque todo mundo continua malvestido?)

  10. Leticia,
    Falta de educação financeira, no mais geral. Até as empresas que atuam com bureau de crédito falam em consumo consciente, dão palestras e cursos e atendimentos, bancos falam em consumo consciente, fornecem simuladores etc. Ai vem o governo e fala que o Brasil está 200%, ou ou e/ou 300% preparado para a crise, sem sequer citar que o cidadão, de um lado, paga impostos regressivos e em cascata. De outro, a inflação come, base 2011, 6,5% de cada R$. O que sobra, o incauto tem de pagar as prestações, o consignado, o cheque especial, o cartão de crédito, o sogro, o cunhado o primo, a sogra e a mulher…Além da pindura e do prego no boteco, que ninguém é de ferro. Em suma, o Brasil não está preparado: está é perdido. Ora o dólar baixo é excelente. Depois o dólar alto é o ótimo. Depois entra vendendo dólar para derrubar a cotação que ficou acima de R$2,00. Ou seja, a maioria dos países que contam, podem ter crescido pouco, porém, acima da inflação. O Brasil cresceu pouco e abaixo da inflação. Isso, seria chamado, em algum planeta distante de estagflação. No Brasil isso é “crescimento sustentado”. Pois, então…

  11. Você viu no JN quanto custa um empregado para uma indústria? E especialistas defendendo o protecionismo como se a gente fosse a Alemanha? Certo está o Alexandre Schwartsmann: protecionismo aqui não significa dar um plá pra indústria nacional. Significa fabricante sentado no pudim, como ficamos até antes da era Collor. Mercadorias vagabundérrimas e caríssimas. Sou totalmente a favor dos xing-lings pra ver se esses caras PARAM de apoiar governo e exijam menos impostos, mais competitividade.

  12. Eu repito o que sempre disse: Lula fez um governo bom para o povo dentro daquilo que o povo acha ser um bom governo, que não inclui saúde, educação e bem estar social, limita-se a consumismo.

    Essa tática de microcrédito que levou um monte de gente a comprar TV, geladeira e carro não é ruim, o problema todo é que passou dos limites do bom senso quando todo o crescimento que ela gerou não foi transformado em reformas estruturais para manter o desenvolvimento do país (leia-se: reforma fiscal e tributária) isso com governos com ampla maioria parlamentar.

    E em certo momento da presidência de Lula, quando ele deixou de ser político e virou deus, entendeu-se que o processo e deificação do homem dependia da manutenção do crédito e do consumo a qualquer custo e assim se fez.

    Resultado: hoje o governo é refém da indústria automobilística e dos bancos como nunca antes foi na história deste país! E o povo continua acreditando em um processo que gera crescimento econômico pífio, porque as condições estruturais do país não permitem ele chegar a índices nem perto dos chineses e aumento de arrecadação tributária (que sempre é menor que o aumento de despesas de custeio) endividando-se até o osso, comprometendo a média de 45% de sua renda com pagamentos relacionados a consumismo.

    Esse filme o país já viu e sabe onde vai parar.

    Na época do “milagre” o governo não parava de gastar, chegou inclusive a patrocinar uma Copa do Mundo exclusiva do Brasil (a Copa Sesquicentenário em 1972, quando foram construídos vários estádios enormes), o povo não parava de consumir o Estado tornava-se cada vez mais paquidérmico e temerário a ponto de ignorar uma grande crise internacional e não tirar o pé do acelerador. Um dia veio o default, o endividamento da população chegou ao limite, as fontes de recursos governamentais sofreram limitação e o resto da história sabemos…

    Dilma é outra irresponsável. Com a maioria parlamentar que seu governo detém poderia emplacar as reformas necessárias, fazer cortes orçamentários reais e demissões em massa de companheiros lotados em cargos inúteis de comissão… poderia deixar a casa arrumada para que Lula eventualmente volte como o deus do povo em 2014 e ao mesmo tempo, legar condições para o país crescer em outra onda de microcrédito. Mas não, prefere manter a mesma política que faz sucesso com o povo, sem tentar ao menos explicar para este povo as vantagens de um país com contas equilibradas.

    PS: Ontem vi muita gente reclamando da greve do metrô nos seguintes termos: tem dinheiro para a Copa, não tem para melhorar isso aqui…

  13. Olha, pode esquecer a volta do ex-presidente em 2014, Fabio Mayer. Ele não tem poder para impedir que a presidente atual não dispute a reeleição. E os queremistas acabariam colhendo uma crise política de grandes proporções, o que deixaria claro profundos arranhões na Democracia. E não há capacidade de ninguém fazer isso no Brasil, hoje.
    Não porque não haja quem queira. Mas, sim, porque não pode.
    Apesar do efeito orloff, Brasil-Argentina, uma reedição aqui de Cámpora/Perón, seria difícil. Não haveria quem quisesse ser o Cámpora.

  14. Olha, Leticia, por mais que a economia está indo bem etc. não demorará muito para que os efeitos do que está sendo feito agora mostre os resultados negativos. Ou nem tão positivos, como desejam. Parece que contam com o agravamento da situação européia, norte-americana e japonesa. Ai, poderiam dizer que gastaram contra o ciclo, por inteligência superior que detém…Oras, o endividamento das pessoas está acima do normal. Interessante um país, onde indústrias com estoques elevados, ao invés de praticarem o giro x margem, vendendo mais barato e em maior quantidade, exijam isenções, subsídios e desonerações fiscais sucessivamente.

  15. Lulla voltar em 2014? Ué! Já não bastou o ‘passa-moleque’ que acabou de levar do Todo Poderoso? Quem se julga acima da Divindade tem sempre uma resposta à altura da pretensiosa ofensa.

  16. Algum de vocês não acredita que “ele” quer voltar ao trono de qualquer jeito?

    Quer sim, e se precisar passar por cima de quem está acomodando as nádegas na cadeira que ele acha ser sua por determinação divina, passará!

  17. ábio, ruim para o povo e para o governo. Povo, porque sua prioridade virará ferro-velho em um ano (até porque povo não cuida bem de eletrodoméstico. Puxa aspirador de pó pelo fio, sabe como é?). Segundo que não sabe poupar. Terceiro que o que é bom: reboco em casa pra evitar doença e botar filho pra estudar que é bom, nem pensar.

    Quanto ao Lula, acho que ele já era na lembrança do povo. Sinceramente. Passou imagem de forte, de imbatível, e adoeceu. Vai saber os meandros do psico geral. Eu aposto na desacreditação.

  18. Virei fã desse blog. Apesar de morar em Salvador – Bahia (hoje conhecida como Bananialand, graças ao DESgoverno PTista ), encaro os acontecimentos em SP como termômetro político para o país inteiro.

    Visito a megalópolis ao menos 1 vez ao mês e nao me canso de elogiar a infraestrutura metroviária. Aqui na Capital da Bananialand temos um “metrô” que jaz há 12 anos, sem sair dos trilhos, nem para dar pegar um solzinho. No poder desde 2006, o governo estadual petista pouco ou nada fez a respeito, talvez por achar que o soteropolitano mereça dia a dia confortável sistema de transporte coletivo existente – de fazer inveja aos haitianos.
    Enquanto grande parte do Nordeste permanece como mero coadjuvante nas decisoes e rumos da nação, Sao Paulo ( talvez pela sua cabeças pensantes) mantém-se na vanguarda, dando dor de cabeça a esse partido “dos trabalhadores” que tenta, a todo custo, engrenar seu PPP (Plano Perpetuaçao no Poder) por mais 8 ou 16 anos ( Deus nos proteja ).

  19. Oi, Antony, obrigada pelos elogios (ao blog e a SP) e seja bem-vindo! O Flanela está aí pra isso, defender a cidade da esculhambação geral e da avacalhação planejada do PT. Pode até soar bairrista, mas é justo o contrário: sonho é poder ver todas as regiões do Brasil pau a pau com o que há de melhor, e que todos possam viver bem e ser felizes no lugar que bem entenderem. E que possamos nos livrar de vez do populismo eterno e da miséria, que o PT elevou à enésima potência nesse Brasilzão perdidaço.

    Abraço, volte e comente sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s