A gente tentou avisar, né?

Da Folha:

O ex-governador José Serra (PSDB) lidera a disputa pela Prefeitura em São Paulo com 31% das intenções de votos, de acordo com pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (9) pelo SPTV, da TV Globo.

Em segundo está o ex-deputado Celso Russomanno (PRB), que aparece com 16%.

O deputado Gabriel Chalita (PMDB), com 6% das intenções, está à frente do ex-ministro petista Fernando Haddad, que conta com 3%. (íntegra)

É de mencionar que Soninha Francine está à frente de Haddad e de Chalita, com 7% das intenções de voto. É de mencionar ainda que Serra tinha 20% das intenções de voto m dezembro passado, quando ainda não era candidato mas todo mundo sabia que seria candidato.

A gente nunca deve cuspir pra cima, né, benhê?, mas aqui no cafofo o raciocínio é cristalino: a equipe do candidato petista está pouco se lixando para a cidade. Resolveu manter aqui a estratégia de terra arrasada de sempre, que tanto seduziu corações e mentes nos anos 80, e que lhe deu muitas cidades, alguns estados e… a presidência.

Mas há casos em que isso não dá certo. Numa cidade que luta para administrar a quantidade de gente que para cá acorre, vinda de terras miserentas onde o poder público não libera um biscoito de polvilho sem pedir algo em troca, não é esculhambando tudo que o cabra irá ganhar a Prefeitura, não…

Tá, mas tem o Russomano. Russomano é uma espécie de transmutação do Maluf: tem seu reduto, um tipo de gente que se impressiona com sua fatiota conservadora e seu cabelinho penteado com escova de cerdas eletrificadas. Não deve ser levado em conta. Eu não levo, e você?

Resumindo a paçoca: paulistano quer transporte rápido, eficiente e limpo, e sabe que o PSDB está se esfalfando pra isso. Simples assim.

Xô ônibus! Transporte de massa é sobre trilhos e pronto.

Anúncios

21 comentários em “A gente tentou avisar, né?”

  1. Pois é Leticia, fico feliz demais com essa pesquisa. É que estou escrevendo da cidade de Parauapebas (Carajás), Pará. Bem, ao menos estou tentando, pois a conexão aqui é à manivela. A cidade aqui, mesmo recebendo recursos aos montes da Vale, creio que o saneamento não chegou sequer a região central. O cheiro é insuportável! Ah, mas a turma daqui tem verdadeira adoração ao Lulla. E ainda ontem encontrei um Paraense mandando brasa na administração tucana no estado de SP. Uma pena.

  2. Bom o nicho de José Serra é esse mesmo, 31%.
    Mas depois ele terá que buscar apoio no centro e na direita.
    Russomano também vai bem e poder ir ao segundo turno e ou se aliar a alguém contra Serra.
    Está na hora de mudar, a repetição leva a mais e mais do mesmo.
    Depois desse momento Dilma é bom que o poder mude de mãos, democracia precisa de alternancia.

  3. Pesquisa a essas alturas da peleja não serve de nada, se valesse, Serra nem estaria disputando a prefeitura, seria presidente.

    A candidatura do PT depende da saúde do Lula. Se o Lula levar o candidato do PT a tiracolo, no mínimo se aproximará muito de Serra, e eu penso que deve até vencer, porque vai pesar contra o tucano o abandono do cargo tempos atrás. Agora, se o Lula não melhorar e não recuperar a voz, o candidato do PT levará uma surra nas urnas, não chegará a 10% dos votos.

    De resto, o que se vê é que à exceção de Serra, SP está sem candidatos a prefeito. Ficou no passado aquela luta de lideranças verdadeiras ou grupos políticos bem definidos pelo cargo de prefeito: no passado Maluf era candidato ou lançou Pitta, Marta, Plinio Sampaio, Erundina representavam por si mesmos o PT (o que não é o caso do Haddad, que representa Lula, do PT), e tinha gente como Jânio, Russomano e candidatos de correntes políticas bem definidas… hoje todo mundo é PT ou anti-PT, ou no mínimo sonha em ser ungido pela aura salvadora de Lula… é pouco para uma cidade como SP.

  4. Derek, essa teoria da repetição foi inventada pela oposição, hehe! Fazendo boa gestão e com ideias arrojadas, pra que mudar? E, pode ver ´nos anos pós-Marta, o nicho do Serra é o pavor de que o PT volte.

    Fabio, nas últimas eleições o Lula mandava ver em sua gargantinha, e deu no que deu. Paulistano sabe que gestão jeca é bom pra outros municípios. Não aqui. Haddad que pegue seus ônibus e vá se candidatar num rincão qualquer.

  5. A renovação sempre é saudável. O problema é a falta de novos líderes.
    Devido ao alto grau corruptível que grassa por aí, a geração atual desinteressou-se totalmente pela política. Se levarmos em conta o baixo nível de escolaridade de eventuais pretendentes, então…

    Olha, nem com Lulla totalmente recuperado, cachaçado e dando pulinhos no palanque, Haddad consegue decolar. O cara é muito ruim, despreparado, despersonalizado, sem carisma.
    Russomano somente está na berlinda devido à tragédia pessoal, familiar. Nunca deveria ter usado isso como catapulta política.
    Soninha é fruto da MTV e da apologia à canabis. Numa prova, não passa nem como síndica de prédio. Precisa fazer muita fumaça pra ser notada.
    Pela lógica, Serra leva. Os demais, no way.

  6. O modelo de transporte no “braziu” tem que ser mudado urgentemente. Cheguei ontem da Itália e fiquei impressionado com o que tem de trem para todos os lados.Caminhões nas estradas é um ou outro. Nas cidades é raro. Não vi um congestionamento em nenhuma das cidades que visitei.
    Vai-se de Roma á Florença (280 km) em 1,5 horas em trem que anda a até 320 km/h.
    Investimentos em ferrovias já!

  7. Olha, Schu, eu confio mais na Soninha do que em muito senador com ares carolas mas que depende de bicheiro. Maconha não tira berço de ninguém. Embora seja provável que um maconheiro hodierno não valha muita coisa, a questão só fica na estatística. Não na regra. O mesmo vale para o Russomano. Não dou um centavo por aquele ar de pai de família preocupado com os rumos morais do país. Safadeza perde.

  8. Né, Tea Party? Ônibus é pra pequenas distâncias, pra completar uma malha, coisa local. O PT não tem peito pra fazer metrô nem aqui nem em lugar nenhum. Por isso adotou essa estratégia fuinha de corredor de ônibus.

  9. O fato mais significativo é que na equação eleitoral proposta pela pesquisa a variável Haddad não alterou. É espantoso e intrigante perceber que nem mesmo os votos paulistanos “petistas de carteirinha” influíram no índice de Haddad, que permanece nos 3%. Assim, ouso afirmar, repetindo o que já disse antes: o PT está em franca decadência política em SP, se comparado com o que já foi antes na cidade de SP.

    Penso que os novos elementos que podem influir nessa equação, seja para ampliação dos índices de Serra [acho difícil cair, pois os números históricos são superiores a 30% e não há fato novo nem para supor que o número caia], seja para a subida de Haddad, passam pelas coligações e, consequentemente, tempo de TV.

    Li hoje na imprensa que o PSB está rachado. Há um grupo liderado pelo ex-tucano Juscelino Gadelha, “Movimento em Marcha”, que forçou uma reunião com Haddad nesta semana. É do jogo. Gadelha foi um dos seis vereadores que saíram do PSDB no final de 2011 por conta de uma briga de políticos do partido. Nessa diáspora, Gadelha foi para o PSB. Para onde foram os outros eu não sei. Teria de pesquisar.

    Ou seja, Gadelha é um arrivista que representa no PSB um braço político contrário ao liderado pelo presidente do diretório estadual, Márcio França, que apoia a aliança com Serra. O grupo pró-Haddad perdeu força depois que Kassab avisou Eduardo Campos que apoiaria Serra.

    Parece que para o PSB de SP o apoio a Serra traria maiores dividendos políticos, o que fortalece a posição do grupo liderado por Márcio França. Mas no plano federal Eduardo Campos alimenta a esperança de ser vice de Dilma, além de condicionar o apoio à Haddad ao apoio do PT em prefeituras como Recife, Fortaleza, Macapá, Boa Vista, Mossoró e Duque de Caxias.

    Em MG o PT engoliu as condições do PSB e aceitou subir no palanque com o PSDB. Eduardo Campos avisou que até junho nada será definido em SP. A ver.

  10. Ao longo do tempo, por hipótese, as coisas deverão mudar um tanto para o candidato colocado goela adentro do partido do governo federal e da presidente, para a Prefeitura de São Paulo. No caso, a presidente terá de mostrar cacife eleitoral. Ou seja, mostrar ser capaz de transformar popularidade, momentânea, em votos e eleger algum candidato em algum dos maiores colégios do País. Leia-se, São Paulo. Aportando por aqui, não poupará os bons moços Alckmin e Kassab, que lhe são só elogios. Mesmo, também, sem conhecer nada da Cidade, o peso do cargo ajuda. O candidato dela, assim, teria em torno de terceiro lugar para cima, na medida que a campanha progrida.
    Outra hipótese, seria a novidade do partido do governo federal passar a apoiar, em massa, o candidato que lhe foi empurrado pela goela. Assim, este poderia, gradativamente, chegar ao segundo lugar.
    A terceira hipótese, seria um duelo direto Serra x presidente, com a nacionalização da campanha. O candidato ungido, poderia assim, ou teria gás, para consolidar o segundo lugar, com chances de levar a eleição para segundo turno.

  11. Olha, Lets: a Soninha mesmo ‘encanabizada’ é melhor que qualquer senador em Brasília.
    Aí já é covardia, né? Hehe!
    Infelizmente maconha está no berço de quase toda família hoje em dia. Sempre há uma ovelha negra querendo experimentar e depois quebra a cara.

  12. Opa, Derek. Essa conversinha de que alternar é bom pra democracia e tals é papo de petista frustrado por não dominar a cidade mais rica da América Latina. Se é assim então vamos dar uma bicuda na bunda do PT em 2014, ok? Vamos alternar o governo federal. Você apoia?
    No mais, depois da Marta, os paulistas já sacaram que São Paulo é coisa pra gente grande. Vamos deixar a cidade nas mãos de profissionais.

  13. Deixando de lado o caso da maconha, eu gosto bastante da Soninha. Tenho a impressão que ela entende a cidade (ao contrário de um certo outro candidato) e se preocupa com ela.

    Confesso que gostaria de poder votar em Andrea Matarazzo, mas vamos de Serra.

  14. Eu até poderia considerar um voto na Soninha, se ela não viesse com esse papo seco de bi-ci-cle-ta (para mim, virou palavrão). Russomano e Netinho, NEM PENSAR!! Haddad …? QUEM???

  15. Alternar em São Paulo?
    Mas, afinal, desde quando eles não governam por aqui?
    Então, não seria alternar e nem seriam alternativa.
    Legal essa de, se for para alternar, que comece pelo Federal.

  16. Povo, desculpe a ausência.

    Assim…, não é com tudo que eu concordo com Soninha, claro. Posições sobre ambientalismo, esse lance da bicicleta… Mas acho que aquele tempinho da subprefeitura da Lapa deu-lhe cerca casca. Mais um pouquinho de experiência ela matura as ideias. Bem se vê que ela é inteligente, honesta e simples, só ainda um pouco influenciada por ideias de geração. Mas tende a melhorar.

  17. Preciso de um esclarecimento: Como pode a igreja ser contra o kit gay, se grande parte dos padres apoiam um candidato que se suspeita ser gay (Chalita) ?

  18. Bem, Isabela, não sei se a maioria dos padres apoia o Chalita… E, até onde sei, clérigos podem ter sua opção sexual à vontade, só se comprometeram a não exercê-la. O problema do Chalita não é sua sexualidade, e sim a quantidade de livros que escreveu.

  19. Aliás, ontem foi dado às luzes, mais um plano: O Brasil Carinhoso. Tudo bem. Deve ser parte do exemplo de como desenvolver uma economia na crise: pé na jaca dos gastos acelerados.

    Mas, o citado candidato ai, escreveu tanto livro que talvez fique quase impossível alguém lembrar de algum…hehehehe…

    E parece que nem todos os padres apoiariam o candidato. Quem poderá vir a apoiá-lo poderá ser o candidato que ficou sabendo onde não fica o Itaim Paulista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s