Sean Goldman, lembra?

Acho que postei duas vezes sobre o menino Sean Goldman na época dos factos (aqui e aqui), o hoje ele volta à baila. Na época falei um pouco sobre o costume nacional de recorrer aos nomes influentes, de que a Zona Sul carioca é deprimente corolário. Um delegado, um advogado de renome, um alto funcionário… essa maneira de saciar corruptamente um desejo qualquer. Falei também sobre a ajudinha da Rede Globo nesse mesmo módipensar, recorrendo a uma suposta violação de direitos da criança pela TV americana ao expor o rosto e o nome do menino por extenso, rárárárárá!

Da Folha:

O garoto Sean Goldman, 11, conversou com a apresentadora Meredith Vieira, do canal americano NBC, e falou pela primeira vez na imprensa sobre sua vida após retornar para os EUA com o seu pai, em 2009. A entrevista com o garoto será exibida na noite de amanhã (27) nos EUA.

Na entrevista, Sean conta que sua relação com o pai, David Goldman, vai além da relação pai e filho, e que ele é seu melhor amigo.

Em trechos divulgados pela emissora, Sean fala sobre o período que estava no Brasil, durante a disputa de sua guarda. Ele conta como estava confuso. “Eu não queria ficar sozinho, então eu tive que esconder meus sentimentos e tentar viver com… a situação”, disse. […] Durante a entrevista, Sean também relatou que tinha medo de perguntar a avó porquê o pai biológico não estava era presente. (continua).

Pois bem, espere para amanhã o óbvio do óbvio: a família de cá achará por bem dizer que o menino sofreu lavagem cerebral. (Acrescentado na madrugada: só agora a avó lembrou que existe um troço chamado alienação parental. Discutível, porque 1) tecnicamente isso só existiria se houvesse o outro cônjuge. 2) acusação besta, porque imputa ao pai o que ela mesma tentou fazer.)

E olha que eu acredito no menino, viu? Eu mesma conheci (e conheço) famílias vivendo no confortável mundo colonial e é assim mesmo: a autoridade impera, e fala mais alto quem tem a grana. É com empregada, é com filho enjeitadinho, é com funcionário humilde, é com porteiro, camelô e vovozinha agregada e indefesa.

Só que com os EUA é diferente, meu bem. Os avós brasileiros de Sean que peguem toda a sua influência praieira e…

Anúncios

63 comentários em “Sean Goldman, lembra?”

  1. Alienação parental…
    Agora, vai.
    Eita coisa politicamente correta para conseguir o que se quer….e ganhar incautos corações.

  2. E põe influência nisso… Uma tia-avó do menino fora “companheira de armas” de certo chefe de quadrilha e tinha um cargo na estatal do petroleo… Organizaram passeatas e mobilizações de media. O tal chefe de quadrilha chegou mesmo a “conclamar os companheiros” para ajudar na “luta” da fulana…. Ela pereceu mas os amigos influentes eram supra-partidários e passaram a usar todas as chicanas possíveis no STF. Um senador, chefão de uma partideco, foi autor de uma das ações!!!!
    Depois ficaram choramingando quando o congresso dos EUA e o Depto. de Estado entraram na parada… Para não falar nas “bandalhas” feitas nas varas de família no RJ onde a família do padrasto está sempre podendo… Tentaram até fazer uma certidão de nascimento com o nome do padrasto e com o menino tendo nascido no RJ!!! Falsidade pura! Tudo isto está documentado.
    Ótimo que este menino tenha sido resgatado deste meio. Claro que o mais importante era ele ser reunido ao seu PAI mas me agrada muito o fato de que haverá na terra um mimadinho a menos!

  3. Se o pai reúne todas as condições financeiras, morais e educacionais que possa oferecer ao filho – na ausência física da mãe -, então tem o pátrio poder assegurado de forma inquestionável pela lei. Nos EUA não existem as mutretagens jurídicas tão comuns em Macunaímas’s Land. Lá não existem brechas e nem interpretações dúbias da lei.
    Felizmente o menino está em boas mãos.

  4. Se as pessoas humanas fossem mais RACIOMAIS, o garoto e outras tantas crianças e jovens poderiam estar usufruindo da compamhia dos avós,tios, primos,etc.O que seria ótimo para todos.Mas o egoismo, orgulho sempre falam mais alto e no íntimo de cada uma das partes envolvidas o que vale é a POSSE.Os sentimentos dos menores? Ora, ora bolas, não conta!

  5. Esse pai “zeloso”quer dinheiro, é a coisa mais óbvia do mundo. O muleque está sendo usado e só começou a surgir na mídia por causa do pai. Só não ver quem não quer. Basta a família brasileira fechar a torneira pro garoto (quem eu duvido que veja a cor dessa grana, pois não é ele quem saca o tutu no banco) e deixar a mídia parar de se interessar pelo caso ( e vai deixar). Quando a mídia não tiver mais interesse, acaba a fonte de renda desse pai pilantra, aí ele vai partir pra cima da família. Olha que interessante, a família brasileira não presta, é de “sequestradores”, mas o dinheiro deles presta. Não é interessante isso? Vamos pensar um pouquinho, gente.

  6. Dawran, enquanto estava com a avó, o menino sequer ficou sabendo que o pai o procurava e que havia um processo. Isso, além de alienação parental, é um baita autoritarismo justamente porque a tal família achou que podia tudo.

    Maria, eu não lembrava… Que bom!

    Schu, acho que sim. O pai não é rico, não, mas imagina esse menino criado por essa família. Daqui uns anos estava atropelando todo mundo por aí e achando supernormal.

    Iolita concordo com você, mas é bom lembrar que quem sequestrou o menino foi a mãe e, posteriormente, a família da mãe negou ao pai qualquer tipo de convivência. Não foi o pai exatamente quem começou esse tipo de coisa. Então recorre-se à lei, fazer o quê? Acredito que quando ele for um rapaz o pai o libere para vir ao Brasil. Por enwuanto, é perigoso. Está-se lidando com gente arbitrária.

    Tatiana, deixa ver se eu entendi seu raciocínio: você acha que a família de cá está mandando DINHEIRO regularmente pro menino? Não seja ingênua… Primeiro em acreditar que o que eles mandam é muito. Segundo que uma eventual quantia que mandem é mínima, o suficiente pra ver se compram o coração a mente do garoto de volta. O pai não precisa disso.

    Você comprou a versão tupiniquim, de que o melhor pro menino é viver aqui, entre sol e araras. Isso simplesente era fora da ei e resultado de um joguinho de poder de bairro. Para sorte de Sean, a justiça ameriana e a brasileira cumprem a lei, e não a vontade de ninguém.

  7. Concordo plenamente, Letícia!

    Q a LEI prevaleça sobre as “chincanas” essa “zotoridade de bairro”. É assim, na falta de um dos pais, o outro tem o direito. O pai tem condições de criar seu filho – e o resultado está aí! – então q crie e pronto… Nesse caso todo, me pareceu(na verdade tenho é certeza mesmo) q a avó e cia ltda de influentes e tudo mais tava é tratando o neto como mais um troféu… Duvido muito q ela e seus agregados dessem mesmo uma boa educação(não a das escolas, a DOMÉSTICA mesmo, eivada de bom exemplo e justiça) e AMOR para a criança. O q começa errado não termina certo, e acho muito bom q o garoto esteja com seu pai e q seja feliz com ele. Qto a vovoZONA, q se contente ela mesma no q fez o pai passar: Ela quer ver o netinho? Então q vá pros EUA vê-lo(e q veja bem grandinho e formadinho, o suficiente para estar imune e rechaçar as possíveis chantagens emocionais e manipulações dela.)#Prontofalei.

  8. Sean Goldman é a “galinha dos ovos de ouro” do Sr. David Goldman, que virou uma celebridade na tv americana com sua “história triste” depois q Bruna, a mãe do menino morreu. Porque antes dela morrer ele tinha aberto mão do processo em troca do GRANA. Ele vivia do dinheiro arrecadado da família riquinha do menino em troca de desistir dele. Quando a mãe morreu, ele considerou q o “contrato” estava desfeito e q o menino poderia render GRANA novamente…e virou mesmo…e muita…Quando casado com a Bruna era sustentado por ela…depois viveu da grana q arrecadou com a familia pra desistir do processo…e agora vive da imagem q vendeu pra mídia americana…

  9. Meus caros, que o pai tem direito à guarda do filho é inegável, agora, venhamos e convenhamos, a alienação parental, ao que observo, é muito clara por parte do genitor à medida em que, declarando que mudará de endereço, não entra em contato com a família do menor para possibilitar a visitação, o que é direito subjetivo da família de Sean, e mais, com o fim de garantir o melhor interesse da criança, e não os objetivos egocêntricos de um pai desequilibrado (ou que talvez tenha outros interesses) que, com tal comportamento, certamente há de gerar problemas no desenvolvimento psicossocial na criança. Ademais, meus caros, vê-se claramente no comportamento robotizado do menino, durante a entrevista, que falta espontaneidade, naturalidade na fala e nos esboços de riso forçado. Por fim, pergunto qual é o objetivo de um pai amantíssimo, como se declara, em expôr um filho de apenas 12 anos a uma entrevista envolvendo um assunto tão delicado. Não me parece que este pai tenha o instinto paterno da proteção, do desejo de bem estar de sua prole, o que certamente é doloroso para esta criança.

  10. BLima, sinceramente… vocês deveria ter apresentado esta tese ao advogado da família… Tenho certeza de que seria usada à exaustão.

    Gilda, nos EUA não é contra a lei expor menores nos meios de comunicação. No Brasil, sim. O pai do menino detém a guarda dele, e tem direito de protegê-lo de quem quer que seja, inclusive de uma família que acha razoável sequestrá-lo.

    Vocês tão impressionadas com o Fantástico. Ponto para o programa.

  11. Sempre esta bla-bla-bla contra o pai do menino. A familia brasileira acobertou um crime de sequestro. A mãe fugiu dos EUA, não pediu divórcio lá e declarou o casamento acabado via telefone. As sinhazinhas da Z. Sul carioca estão acima da lei!! Ser dona de casa em NJ ou madame em Ipanema? Quem é que só pensa em grana e “status”? Foi preciso este caso ir para o Supremo para que houvesse justiça. Gilmar Mendes deu uma aula de justiça para a Sinhá e seus adEvogados. Esta gente deu entrada numa certidão de nascimento em que o pai do menino seria o padrasto!! Queriam apagar o pai verdadeiro – que buscava o seu direito usando somente o que lhe era permitido pelos tribunais do Brasil – da vida do garoto e para tanto usaram desta absurda tentativa só possível numa república de quinta, onde alguns se acham acima da lei.
    Faz bem o pai em mostrar o garoto são e salvo nos EUA. Exposição do menino foi colocar ele na capa da Época e tentar criar um clima de “Brasil afrotado” para ganhar apoio a uma causa injusta.

  12. Leticia, em gênero, número e grau, o pai do garoto merece ficar com ele. Essa de só querer ser celebridade ou querer dinheiro, não consta ter escrito uma droga de livro o ter pedido dinheiro para ninguém. Celebridade é o garoto. E parece, ele quer ficar com o pai nos EUA. O garoto foi trazido para cá à sua revelia, pelo que consta. A ver, mas, parece mais uma bazófia contra o pai verdadeiro, pelo fato dele ser norte-americano. A potência emergente tentando demonizar mais um gringo, entende? Só faltava pedirem para declarar guerra aos EUA. Pelo contrário, quem deseja isso não o verá: o Brasil quer mesmo é vender manguaça por lá. Ponto. Pouco importa o garoto.
    Aliás, pelo que consta, o pai norte-americano cuida bem do menino.
    Os demais parentes também podem cuidar bem. Ninguém disse que cuidariam mal. Só que, ao que até agora foi dado, o pai tem todo o direito de ficar com o garoto nos EUA.

  13. Leticia, definitivamente não estou impressionado pelo Fantástico, conheço essa história por amigos em comum com a familia brasileira do menino,antes mesmo dela ficar famosa na mídia. Sou razoável e admito que Bruna errou ao trazer o menino à revelia do pai, cometeu um grave erro, não nego isso, mas talvez o maior erro de todos foi um dia se casar e ter um filho com um estrangeiro interesseiro que casou com uma brasileira rica pra ser sustentado por ela e que agora se sustenta da história q ficou famosa e vendeu pra mídia americana. O q escrevi acima, não foi uma tese…e sim o q concluo através de informações que obtive, algumas delas não através da mídia. Ademais…será q vcs não perceberam a falta de expressão facial de Sean na entrevista? Parecia um robô falando, emoção zero. David reclama do assédio…mas leva o filho a dar uma entrevista a um dos maiores canais de tv dos EUA…afinal…precisa continuar a arrecadar…

  14. Pôxa!!! Transformaram o garoto num robô?!?!?!?!
    Que coisa!!!

    Pobre criança que não tem quem a proteja.
    Exceto brasileiros palmatórias do mundo, da moral e dos bons costumes e de garotos que têm pai.

  15. BLima, eu entendo seu ponto de vista. Mas, supondo que tenha sido assim mesmo, coisa que a imprensa não deu (e não sei por que a família ocultaria, já que tem usado de todos os meios. Até psicólogo contrataram pra analisar a expressão facial do menino.). Mas existe uma coisa chamada Justiça, o certo a fazer. Não há chilique de família poderosa que dê conta disso.

    No mais, fico com o Dawran: brasileiros palmatórias do mundo, da moral e dos bons costumes e de garotos que têm pai.

    Pelo menos o menino se livrou do artifício brasileiro de fazer caras e bocas pra convencer as câmeras, costume tão nosso…

  16. Leticia, da mesma forma que não seria natural uma postura teatralizada do Sean na entrevista, tb não é natural a completa falta de expressão…visto que é um assunto delicado e q mexe com emoções. Na minha opinião, pareciam respostas decoradas de um script pré-determinado. A falta de vontade do menino em ver a irmãzinha tb não é natural, parece produto de uma lavagem cerebral, assunto( a irmã) nem abordado na entrevista.
    Não acho que a Justiça representada pelo Poder Judiciário, seja o brasileiro ou americano estejam errados em dar a guarda para o pai, pois assim manda a lei, não é isso que discuto. Discuto o lado moral e humano e a postura desse pai, desde o início. Um dos requisitos de David para permitir a visita da família brasileira é pagamento de suas despesas judiciais (pagamento este q ele obteve com dinheiro arrecadado em doações e venda de direitos para NBC) em cerca de 200 mil dólares, o que demonstra em q nível de prioridade está o dinheiro para ele (bem à frente dos interesses de Sean).
    A família não oculta as coisas q eu disse antes, isso já foi dito há anos atrás numa carta publicada pelo padastro do menino. Caso vc se interesse, eu acho que tenho esta carta num e-mail meu e posso enviar para vc. Uma coisa vc sabe…essa disputa pela criança só se deu após a morte de Bruna… O porquê disso? Se a mãe estivesse viva, estaria vigente o acordo no qual David “vendeu” a guarda do menino…o que move este homem é dinheiro…

  17. A guarda da criança estava em disputa antes da morte da mãe do menino. Estava em disputa desde a fuga dos EUA. Se o casamento estava ruim pq não divorciou antes de fugir!? Ah, sinhazinhas não precisam respeitar lei nenhuma… O advogado brasileiro de Goldman – Ricardo Zamariola- fez uma excelente réplica a carta do adEvogado que queria fazer uma certidão de nascimento com o nome dele no lugar do pai verdadeiro.

  18. A guarda não estava mais em disputa. A “Sinhazinha” como vc se refere desrespeitosamente à uma moça já falecida e que não tem mais como relatar o(inferno) que viveu com David nos EUA, já tinha entrado em acordo com ele ($$$)para q ele desistisse e ele tinha desistido. Logicamente ele não conta essa parte… Mas após a morte dela ele retomou o processo, estava desempregado e vislumbrou uma “mina de ouro” chamada Sean. Concordo q ela agiu errado perante a justiça, mas ela deve ter tido fortes motivos para isso, os quais infelizmente não podem mais ser contados por ela…

  19. O grande argumento do adEvogado foi chamar o pai do menino de gringo… Qualquer mulher que passe um “inferno” na mão de um marido nos EUA irá colocá-lo facilmente atrás das grades. O divórcio existe nos EUA desde muito antes de ser sonho no Brasil. As ações correram aqui e nos EUA desde que a mãe fugiu com o menino para o Rio. Está tudo disponível na rede e uma busca rápida no consultor jurídico vai produzir um artigo com todas as ações pertinentes no caso.
    Outro absurdo foi a tia avó do menino, ex-terrorista e que estava pendurada num cargo na petrobras, mobilizar seus asseclas para uma campanha contra o pai do menino. Esta terrorista morreu, mas eu não vou deixar de chamar as pessoas pelo que elas foram!

  20. A conduta da tia avó do menino não creio q venha ao caso…muito menos o suposto passado terrorista nada tem a ver com a situação, visto que até nossa presidente da República tb já foi terrorista. Ou vc tb pesquisou o passado dos primos, tios e tios-avós de David Goldman? Viver um inferno conjugal, não significa ser motivo suficiente para prender alguém. Durante os 4 anos q Bruna e David(modelo em final de carreira) viveram juntos, ele não trabalhava, passava o dia cuidando da casa e brincando com o menino, enquanto Bruna ralava um bocado (apesar do dinheiro da família) para sustentar Sean e o próprio marido. Ainda a tratava mal, e isso não significa cometer crime a ponto de ser preso. Ela não aguentou mais a situação e agiu levada pela emoção ao voltar pro Brasil sem avisa-lo, sim errou quanto a isso. David perdeu a boa vida de ser sustentado durante 4 anos. A família não o proibiu de visitar o filho, ele que não se esforçou pra isso, nem ligava, nem o visitava, só se preocupava com o processo judicial. Logicamente ele conta outra versão. Até q mediante 150mil dólares desistiu do processo, visto q seu interesse não era Sean, e sim DINHEIRO. Só retomou a reivindicação judicial após a morte trágica de Bruna…

  21. Di-vor-cio. Gente normal contrata um advogado e pede o divórcio. Simples.
    O passado da tia-terrorista é relevante sim. Como é o da presidAnta. Ela usou todos os seus contatos na imprensa para silenciar sobre o caso e mobilizou “companheiros de armas”, entre eles um que é conhecido como chefe de quadrilha… Tudo para impedir o cumprimento da lei. Os 150 mil dólares foram para pagar as custas judiciais – advogados cobram por hora nos EUA – e este dinheiro foi para tirar o nome dos avós no processo e não para abrir mão da guarda do menino. Está tudo descrito no conjur. Quem quizer um pouco mais bem escrito procure os artigos da Doritt Harazim, a única jornalista que não deu bola para os sobrenomes envolvidos, principalmente dos AdEvogados.

  22. João Paulo Lins e Silva não tem culpa de pertencer a uma família de advogados brilhantes e ilustres, que sempre dignificaram o Direito brasileiro. O sobrenome famoso foi construído através de carreiras profissionais bem sucedidas e não através de politicagem e corrupção. Evandro Lins e Silva foi um dos mais brilhantes advogados que o Brasil já teve, tendo sido Ministro do STF e cassado pela Ditadura Militar por defender a democracia que permite que estejamos livremente e publicamente discutindo esse assunto aqui. Quanto à suposta tia terrorista, nada posso falar, pois não sei de quem se trata. Marcelo, vc e muitas outras pessoas preferem acreditar no Sr. David e no circo montado por ele na mídia americana, ok, vcs que sabem. Eu e tb muitas outras pessoas acreditamos na família brasileira do Sean. Nem eu nem vc sabemos com exatidão o que se passa na cabeça dos envolvidos e o que se passou na casa de David e Bruna enquanto eles eram casados. Mas sinceramente, acho q vc deveria ser um pouco menos preconceituoso,irônico e agressivo nas suas colocações.

  23. Olha, estou acompanhando a conversa e BLima, sem querer duvidar de suas palavras, eu acrescentaria na arrogância praieira a noção de que alguém com menos recursos fatalmente chantageará os ricos. Isso me parece um tantinho Gloria Magadan. Se a moça morou com ele um tempo, resolveu ter um filho com ele e trabalhou enquanto ele ficava em casa cuidando do filho, creio que a opção foi dela. Se a família de notórios advogados se deixou chantagear em vez de recorrer à Justiça, também estranho…

    Não há no post um libelo moral, do tipo “Sean deveria ficar com…”. Isso é estratégia da família brasileira. Só se quer enfatizar é a decisão da Justiça, que está acima da vontade, da graninha de compra humana, do meio de vida de ambas as partes ou, enfim. Se houve um dia uma vontade de ter um filho com outra pessoa, essa pessoa não deixa de existir segundo o desejo do dia seguinte. É como o Marcelo defende: há meios legais e decentes pra resolver isso.

    Quanto ao jeito de Sean na entrevista, obviamente ele conversou muito com o pai. Se se chegou a uma situação limite, de excludência, que assim seja. A Justiça determinou. De qualquer modo, enfatizo que a necessidade cultural de chorar e expressãr emoções pra todo mundo ver diante das câmeras é coisa quase que exclusivamente nossa.

  24. Desculpem, acho que vou ser politicamente incorreta.
    Há tantas mulheres que usam do mesmo artifício para garantir um bom sustento: “ficam prenhas”. Essa é uma versão da história onde, agora, o homem é que vai receber pensão.
    Não são direitos iguais?
    Boa ou má pessoa, ele é o pai da criança.
    Felizmente?
    Infelizmente?
    Só o tempo vai dizer.
    E quanto as custas do processo não cabe a quem perde pagá-las?

  25. Outra coisa: Concordo sim com o uso do termo “sinhazinha”, mesmo para falecida. Primeiramente, pq foi assim mesmo q a falecida se comportou em vida: Como uma verdadeira “sinhazinha” q se acha acima do bem e do mal, sequestrou o menino, NEGOU o contato dele com seu pai VERDADEIRO e tentou colocar seu amante n0 posto de pai no lugar do outro, o de verdade(fora as chincanas praieiras de sua família). “Segundamente”, ninguém vira santo intocável só pq morreu. Existem mortos q merecem respeito e outros q não merecem um pingo de reverência. #Prontofalei 2.0.

  26. BLima,
    Ninguém está questionando o fato uma família ter posses e ter bons e/ou serem ótimos advogados. E ter outra família que é ou seria pobre e não tenha bons advogados ou permita entrevistas ou venda a história para TVs etc.
    Se fosse num dos programas de domingo à tarde aqui no Brasil, seria muito para a cabeça de qualquer um. Ou estourar pipocas num programa noturno…

    O que está saliente é que o garoto tem pai biológico. E ao que consta, preferiu ficar com o pai, pois, já tem mais de 12 anos e capacidade jurídica e legal de decidir. E decidiu.
    Por que isso acabou virando um furdunço diplomático? Porque a mãe biológica trouxe o garoto à revelia da pai, parece, não?

    E nada melhor do que colocar uma criança na frente do império do mal, que queria ficar com um filho do império do bem. Porém, quem aqui, no império do bem, ficaria preocupado com um garoto?

    Há tantos garotos por ai, perdidos, sem escolas, fazendo malabarismos com bolas nos semáforos e ninguém liga. E são pretos, brancos, mulatos, cafuzos, mamelucos, bebês indígenas são mortos pelo pais por terem defeitos, louros de olhos azuis, sararás etc.

    Ninguém, também, está questionando se a família da mãe, o padastro, a avó daqui etc. tratam mal ou bem o garoto. Aparentemente, sim, tratam bem.

    Mas, esse tom de luta do império do mal x o império do bem, é um vício que está muito saliente no Brasil de hoje: somos os bons, os honestos, os amorosos, os resolvedores de crises, os que param tsunami com um gesto de mão…

    Oras, isso não é verdade. Temos muito o que aprender e apreender com outros povos. E quase nada a ensinar na marra para quem não tem interesse algum em gostar de nossa feijoada com manguaça, entende? O garoto preferiu ir com o pai biológico. Ponto.

    É louvável seu esclarecimento sobre as pessoas e parentes e amigos envolvidos no caso. O que os demais, inclusive este comentarista, estão querendo dizer é que o garoto escolheu o pai biológico.

    O resto, poder visitar ou não, o garoto passar as férias aqui ou não, são coisas que dá para ser resolver sem pensar em incinerar Nova York pela poderosíssima armada nativa.
    E também, é só cuidar para que o garoto, quando aqui, não pegar bernes, bicho geográfico, bicho de pé, diarréia, piolhos, carrapatos que transmitem febre maculosa, ver esgoto a céu aberto, lixo jogado embaixo de placas onde está escrito “proibido jogar lixo” etc.

    Tirando tudo isso, tudo bem.

  27. Leticia, seu argumento “arrogância praieira” é carregado de preconceito, e preconceito não discuto. Pra sua informação…Bruna não “resolveu” ter um filho com David…eles estavam namorando há pouco tempo, inclusive à distância…se encontravam esporadicamente,não se conheciam direito…nunca tinham morado juntos, e ela acabou engravidando. Uma vez que, apesar de não se conhecerem bem, estavam gostando um do outro e Bruna estava grávida, resolveram então se casar e tentar dar uma família para o filho q estava por vir. O relacionamento deles começou a fracassar logo q foram morar juntos, mas ainda assim, Bruna suportou a situação por 4 anos, por amor ao filho e na esperança que um dia viria a melhorar. David era um modelo profissional cuja carreira estava no fim por causa da idade e nunca quis trabalhar…como assim permanece até hoje. Foi sustentado pela mulher durante os 4 anos de casamento e já há muitos anos vive dos dividendos que sua história triste lhe proporciona, e assim precisa continuar a lhe proporcionar. Quando começa a cair no esquecimento e consequentemente sua renda começa a cair, é necessário uma nova entrevista na tv, para o caso voltar a evidencia e lhe render mais grana. Ou seja, não é David que sustenta Sean, é Sean que sustenta David, sem mesmo saber disso. Será que vcs não percebem isso???
    Dawran, o garoto não foi consultado na época, tinha 9 anos e foi considerado que não deveria decidir.Não foi ele que decidiu ficar com o pai biológico.
    Só para registrar…não acho que a família Bianchi ou Lins e Silva sejam compostas de santos que nada de errado fizeram em relação ao processo. Admito que Bruna deveria ter agido desde o início dentro da legalidade e não o fez, mas ela teve seus motivos particulares para isso, e uma mãe muitas vezes passa por cima da lei para poder ficar com seu filho, não a considero uma Bruxa por isso, apesar de David dizer o contrário, acredito na família brasileira que diz que nunca o proibiu de visitar o filho no Brasil. David sim, proíbe a avó materna (o avô morreu enquanto o menino está com David), o padastro e a irmã pequena não só de visitá-lo como de qualquer tipo de contato, inclusive e-mail. Pelas leis brasileiras isto seria proibido. Avós têm direito garantido em lei de visitar os netos.

  28. Di-vór-cio. Pq. não fazer as coisas como todo mundo? Seria fácil conseguir também a guarda da criança. Não entendo o dramalhão, a tentativa de convencer na base da pieguiçe e fora da lei. Este caso foi um choque de civilização para muita gente que pensa que o mundo deve ser regido como enredo de telenovela. Não, no mundo civilizado as pessoas cumprem as leis, os casamentos são terminados na frente de um juiz, a guarda de crianças é decidida pelo magistrado. Não adianta fugir para os trópicos e enredar o marido pobretão e “gringo” na rede de loucuras do judiciário local. Aliás, é interessante notar que o caso só andou quando saiu da esfera estadual e foi para a federal. A decisão do juiz do TRF foi muito clara sobre o que de fato ocorria. A integra está lá no conjur, inclusive com a opinião dos peritos judiciais sobre o dano psicológico que a criança fora submetida. Decisões judiciais anteriores que estabeleciam as visitas do pai foram sumariamente descumpridas pelo adEvogado padrasto, o que fez com que fosse condenado por litigância de má fé e descumprimento de ordem judicial. Típico da selva só cumprir o que de seu interesse.

  29. BLima, você diz que estou sendo preconceituosa falando de arrogância praieira. E eu tenho de ler aqui que a “família dos advogados ilustres” (que talvez seja um fato definitivamente carregado de significados inamovíveis) deve, por alguma moral que desconheço, ficar com o menino porque se “ouviu falar” que o rapaz chantageou, que o rapaz não trabalha, que o rapaz é pobre… O que mais?

    A avó do menino encontrou-se com a ministra Maria do Rosário há cerca de um ano e declarou-se “confiante” na questão de voltar a ver seu neto, e que “o Brasil está do lado dela”. Eu até entendo que ela siga a lógica nacional, aquilo a que está acostumada, mas quando envolve outro país o buraco é mais embaixo.

    Prova de que os poderosos conhecimentos da família não servem de nada é que o tempo todo apelaram para sandices. A minha preferida é que Sean vem sofrendo de obesidade mórbida. Erro fatal e, esse sim, carregado de preconceitos: aí mesmo é que a justiça americana não cede mesmo.

  30. Não acho q o fato da família ser de advogados ilustres seja motivo pra eles ficarem com menino, de forma nenhuma, apenas acho q isso não deve ser colocado como um defeito. O fato de ser pobre ou rico não deve ser colocado nem contra nem a favor, na minha opinião. O fato de David não ter trabalhado durante o casamento é um fato, não um “ouviu se falar”. O fato dele viver hoje do q arrecada de sua história tb é um fato. Está evidente que não foi Sean quem decidiu por essa entrevista à NBC, e sim seu pai! Buscando o que? Arrecadar mais com a imagem do filho e de sua história. “A exposição precisa continuar, para que a renda continue!”
    Quem tenta convencer na base da pieguice desde o início é David q vendia até canecas nos EUA com foto do Sean. A família brasileira nunca buscou notoriedade com o caso, quem sempre o fez foi David.

  31. Nunca buscaram notoriedade, na verdade tentaram ocultar todo caso na base do segredo de justiça enquanto manobravam nas varas de família do RJ para eliminar o nome do pai dos documentos do menino. Quando não deu mais para esconder começou a mobilização de media e política – em parte comandada pela tia avó ex terrorista ( foi uma das trocadas pelo embaixador Elbrick) – tudo envolto no verde-amarelismo mas rasteiro. Nunca falaram sobre as leis e tratados que estavam violando.
    Quando o caso foi para a justiça federal a maré mudou em favor do pai. Até a decisão do juiz do TRF que colocou os pingos nos is e onde se comprovou tudo de absurdo que fora feito durante anos nos tribunais de família do RJ. O menino só não foi para os EUA por conta de liminares e chicanas diversas até que o min. Gilmar Mendes novamente colocasse um pouco de racionalidade e decidisse em favor da lei.
    O pai ter imposto condições às visitas da avó é resultado de anos de querelas. Aliás ainda é pouco, pois a avó e o padrasto poderiam ser condenados nos EUA por abdução e cumplicidade na manutenção ilegal do menor fora de seu domicílio. Isto está previsto na convenção de Haia.
    Falando em adeEvogados, a família brasileira vai mal neste quesito. Quem está falando agora é um dos porta-de-cadeia que defendeu “direitos especiais” para o “de menor” que ajudou a massacrar o menino João Hélio… Ah! Mas por que cascavilhar o passado?

  32. Marcelo está começando a ficar repetitivo dizendo a mesma coisa q já disse antes. Eu não vou repetir meus argumentos.
    Quanto ao sequestro do embaixador Charles Elbrick,em plena ditadura militar onde cidadãos eram mortos e torturados apenas por serem contra o governo, vc sabe o que o próprio embaixador falava a respeito de seu próprio sequestro e os sequestradores…? A própria vítima(já falecido) tem um entendimento e um julgamento bem diferente de vc sobre os envolvidos…
    Quanto ao grileiro, ops…quero dizer, o Excelentíssimo Sr Dr Min. Gilmar Mendes….acho que é o mesmo que se mobilizou para dar um habeas corpus para o digníssimo Daniel Dantas em pleno final de semana…claro, assunto da mais alta relevância…

  33. Terrorista é terrorista. O esquerdismo se associa no Brasil com o coronelismo de sempre onde vale a máxima: “para os amigos tudo, para os inimigos a lei”. Felizmente o Sean irá crescer num país de cidadãos, conceito este inexistente para gente como “Guta ” e asseclas como o famoso chefe de quadrilha. No Brasil vale falsificar a certidão da nascimento, calar a imprensa, tudo para não agravar as vontades das Sinhás. E tem gente que aceita e aplaude!!!

  34. Os chefes dos Governos Militares como Costa e Silva e Médici eram terroristas no seu conceito? George W. Bush, ex presidente eleito e reeleito pelos cidadãos que vc tanto admira e que levou milhares de americanos(sem falar nos não-americanos) à morte baseado em um motivo comprovadamente inexistente (armas de destruição em massa no Iraque) é terrorista no seu conceito? Se não fosse ex-presidente do país poderoso q vc tanto admira seria um cruel criminoso de guerra como outro qualquer.
    Marcelo, tenho certeza que vc pra defender interesses de um filho, se tivesse amigo ou parente influente, não hesitaria em pedir ajuda…

  35. Não coloque as suas certezas sobre mim. Para começo de conversa eu talvez não fugiria de casa carregando meu filho para outro país… Mas acho que você deve achar isto uma bobagem de pequeno burguês…
    Os americanos elegeram Bush e depois Obama… sinceramente não considero o pres. Bush um criminoso de Guerra. Errou e acertou ao defender seu país de tarados fanáticos que o atacaram.

  36. BLima,
    A cada momento, aumenta o convencimento de que o garoto está melhor onde decidiu ficar. Quanto a ver os demais parentes, até que seria justo, pois, quem é bom, tem de ser melhor sempre, entende? É só deixar o garoto ir embora com o pai biológico depois das visitas e tudo bem. Que coisa, não? O garoto mora lá no país onde mora Bush!!!…hehehehe…A cada momento fica mais patente que pouco importa o garoto não é mesmo? E quem é que seja tão ou mais famoso que o tal de Bush, que mora aqui? Talvez saci, andando de patinete.

  37. Dawran, talvez seja por burrice minha, mas não entendi quase nada do q vc disse nessa última mensagem. Falei em Bush pois o assunto com Marcelo acabou enveredando por outro lado, ele começou a falar de terroristas, terrorismo e elogiar os EUA, que admito tem coisas boas, mas tb coisas péssimas, não considero um modelo de Nação, está longe disso, assim como o Brasil tb está.
    Já manifestei aqui minha opinião a respeito do caso Sean, procurei fazer de uma forma sensata, sem preconceitos. Tb manifestei de certo modo minha concepção política, notadamente muito diferente do Marcelo. Bush com suas ações só conseguiu aumentar exponencialmente o ódio aos EUA ao redor do mundo e consequentemente tornar o país ainda mais vulnerável ao terrorismo, mas não vou convencê-lo disto. Estou me retirando deste debate, pois isto não terá fim e estou muito sem tempo para isso.
    Boa sorte a todos.

  38. Quanto ressentimento, hein, senhor BLima?
    Ficou de fora do “Bolsa Ditadura” de Greenhalgh?
    Não sei por que esse ódio visceral aos milicos! Você já pensou se Dilma e seus sequazes conseguissem estabelecer uma ditadura comunista em Macunaíma’s Land? Seríamos hoje uma Cuba gigante.
    O regime militar foi péssimo, mas menos deletério que o totalitarismo socialista.
    Mas, se isto lhe serve de consolo BLima, em parte aqueles guerrilheiros de araque conseguiram o que queriam. Hoje estão nos “governando” e destruindo nossas mais caras instituições democráticas. Em dez anos, de maneira sub-reptícia solaparam e corromperam os Três Poderes irremediavelmente.
    Na tentativa de partidarizar o caso Goldman nossos rábulas deram com os burros n’água!

  39. BLima,
    Explicando: o tema era saci de patinete e discutir isso realmente depende de muito tempo.
    Motivo: pouco importa o garoto, da forma como colocam, pelo fato dele ter preferido viver com o pai biológico e nos EUA onde mora Bush. Lá também moram outras pessoas, como aqui, quem seria o Bush? Essa foi a pergunta. E resposta: tem mais bush aqui do que lá.
    Finalizando: ideologizaram um caso familiar, onde o garoto, que deveria ser o foco da questão, decidiu ficar com o pai biológico. Se fosse um garoto togolês, somali, ou brasileiro, daqui pertinho mesmo, os problemas seriam sequer avaliados com tanto fervor nacionalista.
    Foi só isso.
    E fez muito bem o garoto em querer ficar por lá e não aqui.

  40. Estou percebendo q realmente devo me retirar deste debate e deste blog. Sou minoria total aqui, pra não dizer que sou o único com minhas convicções. Entrei de gaiato aqui por acaso, sou um intruso. Sou carioca, votei na Dilma pra presidente (longe de acha-la uma maravilha, mas tb longe do horror de vcs por ela), abomino a ditadura militar que tivemos (por inúmeros motivos, inclusive familiares), abomino George W. Bush e sua ideologia e ainda me solidarizo com a família brasileira de Sean Ribeiro Goldman (não por motivo nacionalista)…ou seja, um prato cheio para vcs me execrarem…rsrs
    Boa sorte a todos.

  41. Não, você não deve ser execrado por sua opinião, BLima. Por outro lado, em tempos de hegemonia petista, acho preocupante que opiniões outras não possam ser emitidas.

    Eu, por exemplo, sou antipetista, com tudo o que isso significa. E tb. porque percebo um amálgama triste entre as ideias igualitárias do antigo PT e os velhas e tristes conceitos de um Brasil estamentário, colonial, onde o que conta são as famílias importantes e “respeitáveis”, de que o caso Sean é um claro flagrante digno de análise sociológica.

    Espero ser um dos últimos casos em que se tenta claramente impingir uma influência social e uma convicção de poder, que passa por cima de tudo e todos para satisfazer um abstrato conceito de justiça pessoal. Ainda bem que a Justiça, com maiúscula, prevaleceu.

    Quanto aos outros embates, fazem parte da opinião livre. É bom a gente se acostumar. Não há necessidade de harmonia.

  42. Leticia, acho q o blog é seu, né? Antecipadamente peço desculpas por minha intromissão. Apesar de discordar de vc na grande maioria de suas idéias, admito que vc se expressa com menos ironia que seus colegas de blog. Não sou anti-petista. Já fui fervoroso simpatizante do PT na minha juventude e com o passar do tempo me desiludi e me decepcionei muito com o PT e com a política em geral…Veja vc…Demóstenes Torres, o maior ícone da “moralidade anti-petista” se revelou um super corrupto…representante mor de um bicheiro no Congresso Nacional. O problema maior não está no PT, mas no nosso sistema político. Tb não enxergo essa hegemonia petista q vc vê. A revista semanal mais importante do país é claramente anti-PT, a VEJA. A rádio de informação mais importante do país, pertencente às Organizações Globo, que é a CBN, tb é anti-PT, como Sardenberg, Miriam Leitão e outros.
    Mas enfim… sou democrata e respeito todas as opiniões, tenho grandes amigos antipetistas como vc, assim como petistas radicais ou neutros como eu, e não me são mais ou menos queridos por esse motivo.

    Quanto ao caso Sean, o meu ponto de vista vem de um lado humano que não tem nada a ver com nacionalismo, ideologia, bairrismo ou qualquer coisa parecida. Simplesmente isso q vou lhe dizer agora. Antes do caso vir a tona na grande imprensa, recebi um e-mail relatando tudo q estava acontecendo pela ótica da família brasileira. Pouco tempo depois, com o caso já nas manchetes, João Paulo(padastro) publicou uma carta aberta em que, com riqueza de detalhes e abrindo até certas intimidades contava a sua versão dos fatos, desde o momento que Bruna conheceu David. Eu já sabia dessa história há algum tempo. Particularmente não o conheço, mas tenho um amigo em comum com ele,e tb uma amiga q foi amiga da Bruna. Nasci e moro na zona sul do Rio de Janeiro (que vc parece não ter nenhuma simpatia …rs) e sempre alguem tem amigos em comum com outra pessoa ou coisa parecida. Quem me passou o primeiro e-mail, o meu amigo me disse à época q era uma boa família, não no sentido de família rica e influente, mas família de gente boa, honesta e trabalhadora. Ao ler a carta do João Paulo cheguei a me emocionar…e simplesmente…acreditei nele. Simples assim…e desvinculado de qualquer ideologia. Repito que não o conheço e é até possível q ele tenha contado monte de mentiras no e-mail e na carta, mas…se for o caso, eles tb mentiam para as pessoas q os rodeavam, porque é a mesma história q pessoas q eu conheço, já conheciam, mesmo antes do caso ficar famoso. Baseado no q amigos em comum me contavam e no que eu li…eu acredito…e até relevo uma série de coisas erradas q fizeram ao longo do processo. Se vc tiver algum interesse, eu te mando essa carta.

  43. Leticia…estive lendo outro texto seu…sabe q conseguimos discordar em todos os assuntos??? Será q há algo em que concordamos…rsrs? Ayrton Senna foi e é até hj meu maior ídolo no esporte! Vc prefere o Piquet…e olha q Piquet é carioca e o Senna é paulistano, hein…rsrs

  44. BLima, é aquela carta que entre outras coisas o Lins e Silva diz que até na cama o David não tava dando conta do recado? E vc ficou emocionado? Ah,não! Páaara..
    Olha,Bruna calculou mal quando se casou com David “modelo em final de carreira”,ela devia era procurar alguém assim tipo irmão da Paris Hilton,aí sim não precisaria “se ralar de trabalhar”. Puxa vida ,será que ela não sabia que só usamericanos milionários é que tem empregados? Para quem não está acostumado não é bolinho não…

  45. Pra você ver, BLima, que defendo a minha cidade com honestidade, não com paixão cega. Como valor, creio mais na objetividade do Piquet que no cor-de-rosismo do Senna.

    E Maria tem razão. Se a pessoa emite uma carta de esclarecimento, é claro que ela não vai falar contra si, e isso já põe o escrito sob suspeita. E, cá pra nós, é da tosquice feminina nativa abrir pra todo mundo a vida íntima como instrumento pra desmoralizar parceiro. Contar a vida íntima passada pra companheiro novo, que falta de gosto!

    O blog é meu, sim, e venha sempre que quiser. Aqui só é censurada gente sem educação, o que não é seu caso. Opinião contrária não é crme.

  46. A carta do Lins e Silva foi publicada mas não era só uma carta ao público. Foi endereçada também a comissão do ministério da justiça que cuida de direitos da criança. O advogado Ricardo Zamariola – advogado do pai – fez uma réplica e demoliu os argumentos do padrasto. Demoliu um por um. Na primeira vez que o caso foi ao supremo houve sustentação oral e novamente este jovem advogado demoliu os argumentos de LS, que tinham muito de nacionalismo e hiprocrisia. Na tal carta ele reclama da AGU advogar em favor de um “gringo” contra ele que é “brasileiro” e pagador de imposto, mas não conta que o escritório dele advoou junto da AGU, em casos semelhantes e com pais igualmente estrangeiros! A família tentou de todas as formas denegrir a reputação do pai do menino, mentiu, impediu que a imprensa divulgasse. Quando viu que o caso havia explodido da imprensa, depois de noticiado na NBC, New York Times, etc – colocaram o menino (que antes não podia nem ter o nome citado) na capa da época, enrolado na bandeira brasileira…
    Mas, de fato eu me repito. Concordo que este caso é lapidar pois expõe o que, infelizmente, é nosso país. Onde não há justiça, onde impera o “sabe com quem está falando…”.
    Quem quiser ler uma peça jurídica e não a opinião de “amigos e conhecidos” ou “gente de boa família” (Desculpe, eu não posso deixar de ser irônico…) eis a sentença do juiz do 16a Vara Federal RJ
    http://s.conjur.com.br/dl/sentenca-sean-parte1.pdf
    Ah! Sim, quando a justiça ir contra os “fidalgos da corte” ela é sempre corrupta…

  47. Pô! Até parece que o BLima é um dos associados de Lins e Silva!
    Que mal lhe pergunte: trabalhas na casa? A derrota não foi assimilada? Hehe!

    O blog da letícia é um dos mais respeitados pelo alto nível e pela liberdade de opiniões.
    Aqui o contraditório tem livre trânsito, pois os comentaristas fundamentam-se no conhecimento e na lógica argumentativa.
    Ademais, ser anti-petista hoje em dia já está se tornando lugar comum em virtude do mar de lama que inunda o Palácio do Planalto. Duro era bem antes de 2003, quando muitos de nós já antecipávamos os acontecimentos praticados HOJE pela quadrilha vermelha.

  48. Bruna não reclamava de ter q trabalhar muito e sim do David não trabalhar nada e nem mesmo procurar trabalho, durante anos. Enfim, a história q conheço e já conhecia antes da mídia e de vcs ouvirem falar neste caso, é q nunca proibiram as visitas de David e ele não se interessava em visitar ou ligar para o filho e sim, unicamente no processo judicial. Enfim, acredito nesta versão e vcs não, ponto. Respondendo ao Luiz, não, não sou associado e nem mesmo conheço pessoalmente os Lins e Silva, apesar de, como já disse, ter amigos em comum e um tio que foi muito amigo do Evandro. Não tenho portanto, nenhuma derrota a ser assimilada, apenas expresso a história na qual acredito, mas q tb não tenho condições de ter certeza absoluta , certezas absolutas tenho pouquíssimas na minha vida.
    Discordo que o mar de lama seja característica do PT e acho q é sim da política brasileira, na qual tb tem envolvidos pertencentes ao PT, assim como PMDB, DEM e a maioria dos partidos. O maior “exemplo” de honestidade do DEM quem era? Demóstenes Torres…acho q nem preciso comentar a respeito dele… as gravações telefônicas falam por si. Se ele era o símbolo de honestidade do maior partido de oposição ao governo, imagino os outros…

  49. BLima,
    Um pequeno reparo ao seu comentário sobre o senador, o caso do contraventor e a tal moral de certo partido:

    1) A moral não surgiu com o senador, com o contraventor e muito menos com o partido citado.
    2) Aliás, quem deve ou deveria cuidar da tal moralidade do partido e suas tendências, seriam seus membros.
    3) Assim, não existe “moralidade anti-petista”, seja o que for que isso tenha a pretensão de ser.
    4) E a moral não acabará com o caso em que está o senador ou quem quer que seja.
    5) Caso de política, é de política, por isso, nunca dever-se-ia grafar política com “p” maiúsculo ou minúsculo. Só grafar política. Ponto.
    6) Uma forma de punir a todos que saem da linha, quando crianças, uns bons cascudos. 7) Quando da pré-adolescência até a velhice, se for por velhacaria, investigação, processo, julgamento e prisão.
    8) E no cível, condenação a devolver o que surrupiou. Ponto.
    9) Assim, se há uma moral do ou no citado partido, seus filiados que cuidem dela e a pratiquem.
    10) Aliás, caso ela exista, ela deve estar fundamentada no regramento da Democracia Brasileira, ou seja, Executivo, Legislativo e Judiciário, em suma na Lei vigente e não pode ditar que lei deve ou não ser aplicada à sua moral ou a que entende ser.
    11) Caso contrário, deveriam ir ver se em Andrômeda ou nas ilhas flutuantes de Avatar, caberia alguma moral desse ou daquele grupamento político, ou pessoa, ou algum niilista extemporâneo.
    12) É possível dizer que não, pois, nunca será possível chegar até Andrômeda.
    13) E as ilhas flutuantes de Avatar não existem, embora possa ter quem tenha a cuca nelas.
    14) Assim, uma forma, real, de avaliar essa tal moral, politicamente, é não votar na tal moral decantada.
    15) Agora, na moral, sem adjetivos ou donos, essa não precisa de votos.
    16) Ou se tem ou não.
    17) E se não tem, tem de ser defenestrado. Ponto.
    18) De uma forma geral, “Moral deriva do latim mores, “relativo aos costumes”. Seria importante referir, ainda, quanto à etimologia da palavra “moral”, que esta se originou a partir do intento dos romanos traduzirem a palavra grega êthica”. (Wiki)
    19) Ai, há estudos e teses mais aprofundados sobre a Moral e a Ética, dos quais foi pego uma nesga de fragmento.
    20) E tais conceitos e preceitos não deveriam ser adjetivados, ou sucumbidos oportunisticamente.

  50. Se não me falha a memória quem posava de paladino da justiça, da moral e dos bons costumes era o Partido dos Trabalhadores. Isto antes de chegar ao poder. Hoje, locupletados irremediavelmente na dilapidação do erário, nivelaram-se aos que tanto “criticavam”. Se a corrupção é endêmica no Brasil os atuais governantes de plantão tinham tudo para modificar o status quo. Não fizeram por quê?

  51. Luiz Schuwinski,
    Até esse “conceito” de “corrupção endêmica”, passaram a utilizar depois dos “recursos não contabilizados”, lembra? Antes falavam citando “desde as caravelas”, eram sempre e só os outros. Depois, com o rolo dos “não contabilizados”, passaram a falar da “endemia corrupta que levou até os seus bons”, lembra disso?
    Por isso é não dá para dar moleza para essa turma em termos conceituais. Eles tentam colocar todos no mesmo rolo, quando estão dentro da coisa. Quando imaginam estar de fora, tudo isso só vale para os outros.

    As ilhas flutuantes de Avatar seriam perto demais para essa turma toda.

  52. Em Brasília quem veste vermelho e usa barba é amigo do Rei. Por isso, Pasárgada agora é conhecida como “Granja dos Tortos”! Não deixa de ser uma ilha que flutua entre vapores etílicos, né, Dawran? A senha pra entrar é: fo fei que nada fei!

  53. Eu particularmente sempre defendi a moralidade pública, nisso acho q vcs pensam como eu. Corrupção é um câncer.Só voto pra deputado em quem considero de caráter e conduta ilibada. Pra cargo majoritário, às vezes meu voto recai em quem considero menos ruim. Me decepcionei muito com o PT, mas estou longe de achar que o PT é pior que DEM, PMDB ou PSDB. Há políticos corruptos em todos os partidos. Demóstenes Torres tb era “paladino da moralidade”, um dos mais fortes nomes da oposição. Na verdade era um empregado a serviço de um bicheiro no Congresso. Só pra falar dos casos recentes, além do Torres do DEM, Marconi Perillo, um dos nomes mais fortes do PSDB está envolvido com o Cachoeira até a raiz dos cabelos.. cada vez vai ficando mais difícil negar isso. Tem gravação na qual Cachoeira manda entregar dinheiro pra ele… Ou seja…com uma oposição desse naipe fica cada vez mais difícil tirar o PT do poder…

  54. É por isso que o mensalão foi descoberto e será julgado no STF.
    A moralidade pública não compõe com mensaleiros.
    Por isso estão todos lá, indiciados e prestes ao julgamento.
    Poderão reforçar o grande espírito de moralidade que possuem e que o indiciamento comprovou ser realmente um elevado espírito público de todos.
    Nada que uma cela 2 x 2 não resolva.

  55. Entrou no terreno da ilicitude, cadeia neles. Seja quem for e de que partido for.
    NINGUÉM está acima da lei. Caso a culpabilidade seja comprovada, encaminhe-se a julgamento e sofra as duras penas legais.

  56. É isso ai, Luiz Schuwinski.
    É que vêm sempre uns politicamente corretos achando que só eles é que têm razão sobre tudo. Por isso, quando fala-se em cana, cadeia, cela, cela 2 x 2, devolver recursos surrupiados etc. saem de fininho. Repetindo, nada que uma suíte 2 x 2 não resolva. Lá dentro, terão a oportunidade de raciocinar bastante e escrever tratados durante a 1 hora de sol por semana.
    Essa chatice politicamente correta tem de acabar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s