Perfumarias ecológicas em Vila Madalena

Olha, não vou discutir aqui o medo que teria em usar esta bicicleta de design revolucionário, eu e meus 57 quilos.

Bolada por um dinamarquês (da Vila Madalena de lá), resolveram fazer uma fábrica disso aqui para pessoinhas da periferia, aluninhos irem de casa para os CEUs pedalandjo…, claro, sob os mais animados aplausos de dimenstália que pensa a cidade.

Isso me lembrou muito o tchuquitchúqui alfabetizatório de Paulo Freire, achando que o campesinato só ia juntar A + B se levasse uma enxada de brinde.

O dinamarquês deve ter tomado lá suas precauções pra esse delírio ecológico não vergar nem apodrecer sob a chuva, mas…

Voltando à realidade, como é que o aluninho vai levar sua pesada mochila se a jaca não tem nem bagageiro?

Mas o que mais me comoveu foi a falta de para-lama. Um dia chuvoso no Jardim Nardini, ô, beleza!

Anúncios

11 comentários em “Perfumarias ecológicas em Vila Madalena”

  1. Isso aí na periferia? Deve dar mais de cem armações de pipa. E veja um outro defeito que você nem percebeu, Leticia. Cadê os espelhos retrovisores? Sem eles o cerol fica comprometido, hehe.

  2. Do jeito que as coisas são no Brasil, capaz do cara conseguir algumas dezenas de licitações pelo Brasil afora, em que venda essas coisas para prefeituras que vão dizer investir em educação…ahahahahahah!

  3. Putz, Claudio! Não tem espelho retrovisor, não tem sinalização noturna (até minha humilde bicicletinha Monark, da infância, tinha!), e não vem com o kit de segurança (capacete, etc.) que os bikeiros dos jardins juram ser imprescindíveis, os tontos.

    Né, Fábio? Acompanha um notebook…

  4. Olha, será que vão arrendar a Cidade para algum grupo chinês?
    Ou para alguma ONG dos Altiplanos Andinos?

    Esse pessoal está brincando, não está?

    Afinal, onde estão os estudos laudatórios sobre a emergente classe média? Aquela que enchia aeroportos, rodoviárias, tirolesas, parques, barracas de hot dog e Miami?
    E os vídeos para carros, cadeirinhas para bebês, carrinhos para bebês…só tem bicicleta de bambu? E será bambu sustentável?
    Tem cada coisa!!!

  5. Eu não gosto deste pessoal POLITICAMENTE CORRETO, são uns ECOCHATOS.
    O que vão inventar depois das bicicletas de bambu, para os excluidos da periferia?

  6. Acho bastante engraçado esse pessoal Divercidade, Ecocidade, Urbanicidade, Univercidade e outros trocadilhos do jaez torrarem cotas IMENSAS de carbono comparecendo a reuniões pensantes em Vila Madalena com seus automóveis, e achar que o pessoal de longe é que deve experimentar alternativas bonitosas de boas ideias bolivarianas de transporte.

    Obs.: NUNCA topei com Dimenstein caminhando por Vila Madalena ou no metrô. Já com o Padre Quevedo – esse sim, entusiástico do transporte viável -, vááárias vezes.

  7. Tem um paulista(ou paranaense, não lembro ao certo) que está produzindo no Brasil, bicicletas cujo bloco é feito de reciclagem de garrafas PET. E são bicicletas extremamente leves e resistentes a praticamente tudo, na reportagem que li, jogaram um bloco de uns 4 andares e ele sequer empenou… é muito mais ecológico, prático e barato que essa porcaria aí… sem contar que ele coloca paralamas…

  8. E esqueceram, será, de protestar contra a exportação de jegue para corte, para a China?
    Chinês vai comer bife de jegue, considerado praga e atrapalhador de trânsito no Nordeste ou em áreas do Nordeste.
    Pois é. E bicicleta de bambu pode.
    Impressionante.
    Deveria ter um programa: adote seu jumento!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s