Seres humanos, ai, ai…

Correria por aqui, daí o hiato…, sorry, sorry!

Queria chamar a atenção para um texto na Folha de hoje, sobre o furdunço que é a convivência no Parque do Ibirapuera. Olha só uns trechos (íntegra p/ assinantes):

[…] O número de acidentes envolvendo skate, patins e bicicletas no parque Ibirapuera, um dos principais de São Paulo, na zona sul da cidade, aumentou nos últimos meses, segundo frequentadores, esportistas e funcionários ouvidos pela Folha. A maior parte dos acidentes ocorre após as 18h e também aos fins de semana.

[…] “Já tivemos casos de fratura exposta, traumatismo e até mulher grávida que foi atingida”, diz o vendedor e membro do conselho gestor do Ibirapuera, Eduardo Sales, 42.

[….] Para prevenir acidentes, o parque colocou, em outubro do ano passado, uma barreira para reservar um espaço aos pedestres e evitar choques com skatistas.

[…] Agora, a administração do parque irá colocar uma nova divisória e separar os ciclistas dos skatistas e patinadores. A ideia é reduzir o número de acidentes.

Não frequento lá, mas fica provado o que venho falando sobre o Villa-Lobos. Antes da febre dos direitos sobre rodas, um parque normal. A gente só tinha de driblar a alegria em família depois das 9. Hoje não dá mais. Todo mundo resolveu andar de bicicleta pra aproveitar a natureza e tocar terror nos caminhantes.

Na verdade, o Ibirapuera é o futuro sombrio do Villa-Lobos.  Mais uns meses e lá estará instalada de vez a botocudice, a falta de trato e a ignorância das regras básicas de convivência que tanto nos são caras.

Anúncios

10 comentários em “Seres humanos, ai, ai…”

  1. Xé, é mesmo!! Apenas acho que o parque mais educado e civilizado de São Paulo AINDA é a Pça. Buenos Aires, que tem um espaço para os cachorros. O gran “pobrema” é que todo mundo quer ter direitos e ninguém quer a parte das obrigações. Quer andar de bicicleta no parque? Anda. Mas com cuidado com os outros. “Parece” que as pessoas queriam um parque do tamanho do Villa Lobos só para si e os seus. Pago, é claro, pelos outros que não têm esse direito. Meleca, viu?

  2. No Brasil, tudo de ruim entra na moda: BBB, MMA, uso descontrolado de skate, bicicleta, patim e patinete, Michel Teló, É o Tchan, SUV(s) brancas importadas, aparelhagem de som potente em carro velho sem restrição de horário de uso, funk, sambanejo, etc…

    …só não entram na moda coisas básicas como educação, etiqueta, respeito ao próximo e bom senso.

  3. Um dos programas que a turminha de casa gosta é exatamente dar umas voltas no dito cujo. Mas não ficamos naquelas pistas estreitíssimas marcadas no asfalto. Ficamos próximos a área da revistaria e passamos boa parte do tempo dentro do viveiro Manequinho Lopes, apreciando algumas floradas e, com sorte, mandando bala nas amoras que nascem ali. Eu fico até com medo quando vejo um sujeito com aquelas parafernalhas todas de ciclista profissa, correndo como loucos dentro do parque. Esse eu acho que é o grande problema. Diferente do cara que vai com a família e aluga uma lá fora. Na maioria das vezes o folego acaba e ele termina empurrando a bicicleta com a língua de fora.

    Bom, na verdade meus filhos nem são tão chegados assim no Ibirapuera. A promessa de ao menos dois tempurás pra cada um na feira da Liberdade na volta é que serve sempre de convencimento. É, acho que já arrumei compromisso para o sábado, rsrs.

  4. Fábio acertou na mosca! É o individualismo exacerbado: sai da frente eu quero passar primeiro; porque eu mereço ; os outros que se danem; etc, etc….A gentileza, boas maneiras,educação, cidadania, foram todas para o espaço e a anos luz daqui.

  5. Dizem que andar de bicicleta em demasia causa esterilização ao homem.
    Como eu às vezes sou chamado a perpetuar a espécie neste ano apocalíptico, deixei a magrela de lado já faz algum tempo. HeHe! Prefiro caminhadas e natação.

    Perto de casa tem uma ciclovia que também serve à caminhadas. Rotas de colisões parecem inevitáveis. Quando algum bikeiro vem em minha direção, estendo o punho fechado como se fora um super-herói e espero o embate. Até agora nenhum topou o desafio. Nesta selva quem não marca território, sifu!

  6. Bem, aqui ainda não descobriram o Parque da Água Branca. Acho que lá não tem coo andar de bicicleta, senão os pavões, ó! E é velhinho, mais estreito, e tal. É o que nos restará, além da Praça Buenos Aires, que alguém mencionou aqui.

  7. SUV é Sport Utility Vehicle, uma jequice inventada pela indústria automotiva dos EUA (e obviamente trazida pra cá), num conceito de marketing certeiro segundo o qual quanto mais a vida do consumidor for ordinária e urbana, mais ele sentirá vontade de adquirir um utilitário imenso pra se sentir em loucas aventuras na selva.

    No final, só vai usar o monstro pra atazanar a vida de outros motoristas, que precisam da faixa ao lado, pegar o filho na escola e tentar enfiar a jaca na vaga de estacionamento do cabeleireiro – o que, obviamente, não vai conseguir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s