Toda aquela villa de San Pablo es gente desalmada…

Tenho mesmo de falar no Carandiru de ontem?

Então falemos: a apuração das escolas de samba de São Paulo certamente inaugurou esse lance de reunião de marginais. Em todo o país, até então, o gênero era só um punhado de gente ilibada torcendo republicanamente por sua escola.

Da série de manifestações versaillianas fazendo do fato uma norma, uma característica, um dom, escolhi esta, levando em conta o pretenso discernimento da autora:

Viu? É como o raciocínio das chuvas. Fosse no Rio, seria uma “tragédia lamentável” para uma festa tão bacana…

Daí lembrei do título deste post, citação de um padre espanhol, um tal de Justo Mansilla, lá pelo século XVI.

Que certamente não veio parar aqui pra fazer compras na 25.

Anúncios

21 opiniões sobre “Toda aquela villa de San Pablo es gente desalmada…”

  1. No Brasil, em absolutamente TUDO em que há povo, há baderna!

    O povo brasileiro é desordeiro por natureza, gosta de barraco, som alto, sujeira e pancadaria para resolver os “pobrema” que ele mesmo cria.

    Em São Paulo não é diferente… mas também não é pior.

    Lembro que essa apuração de escolas de samba em SP ano sim, ano não, termina em pancadaria. Só que agora, piorou a imagem, porque a Rede Globo exigiu das escolas que a apuração fosse feita no sambódromo para transmissão ao vivo, inclusive importando o cara do DEZZZZZZZZZ!! que trabalha no RJ. Aqui em Curitiba, apuração de desfile de escola recebe mais PM(s) que o próprio desfile, aliás, tem tanto PM que supera até o público dos desfiles.

    Tem sido difícil assistir até jogo de futebol. O povão não pode beber no estádio então já chega de 4. Lá dentro, não sentam, ficam em pé, fumam em frente da placa que proíbe, brigam entre si por qualquer coisa, jogam o lixo na cara de quem tem a coragem de sentar, transformam os banheiros em fossas… e é assim no Brasil inteiro, não é exclusividade de SP.

    Enfim, a pancadaria não é exclusividade de SP… povo imbecil existe em toda parte!

  2. Bem, que pena para a turma de acólitos da desgraça paulista e paulistana. A FSP de hoje: “Carnaval de SP termina em incêndio e depredação”. Quem provocou a coisa toda não recebe nem uma menção. Recebe a denominação de “integrante e tal…”, na lide e fotos à esquerda da manchete. Mas, a manchete é que ecoa. Era credenciado pela organização das escolas. Ademais, foram detidos os principais arruaceiros, o incêndio foi controlado rapidamente e não houve grandes tumultos pelas ruas e avenidas da Cidade, pela presença ostensiva da Polícia Paulista, Civil e Militar, Corpo de Bombeiros Paulista etc. A moça deve ter tuitado pensando em outra cidade, tanto quanto o jornal. É o tal do negócio: se não tem o que falar, que feche a boca.

  3. Querem o quê? De Norte a Sul as Escolas de Samba são dominadas pela máfia do Jogo-do-Bicho com “participação acionária” do narcotráfico!
    É a bandidagem camuflada com purpurina e paetê!

    Será que a Lucia Hippolito ‘cabralizou’?

  4. Sim Luiz, cabralizou, dilmou e PenTelhou. É só em Sampa que acontece as badernas, jogo-de-bicho, cracolândia, bandidagem, etc, na visão do resto do país! A INVEJA e dor-de-cotovelo são terríveis!

  5. E fica tudo por isso mesmo?? Tinha a mancha e a gaviões – decidiram colocar as duas desfilando em dias diferentes, mas a apuração é no mesmo dia. Então, destaca-se tantos soldados da PM para servir de babá para os criaturos. Agora, tem gaviões, mancha e dragões. Vamos ter três dias de desfile, para que as “torcidas” não briguem? Ah, tenham a santa paciência! E a manchete da fsp, hein? jornalzinho nojento! E que culpa têm os jurados se o samba-enredo da gaviões não agradou? (não ouvi, mas imagino a “preciosidade” que deve ser …) Somos obrigados a gostar porque é da gaviões e fala de quem fala??

  6. Essa semana que passou eu li um texto na Folha sobre como a petezada pretendia utilizar-se do samba-enredo da Gaviões e uma possível (provável?) vitória da escola pra catapultar a candidatura de vocês-sabem-quem à Prefeitura. Li o texto e só não ficou claro se se tratava de constatação de um fato, expressão de um desejo ou discreta incitação. Ou tudo isso junto.

  7. Para variar, a prefeitura diz que vai endurecer com a Liga e que pode se afastar da Liga caso não ocorram punições. Então, pode afastar-se desde já.
    Já começou o empurra para lá e puxa para cá. Uns dizem que o bagunceiro é diretor outros dizem que não e assim vai. Se for para valer e para respeitar recursos do contribuinte, que se afaste e coloque regras rígidas para as escolas receberem recursos. E cumpra. Sem enrolação.

  8. Fábio, esse negócio de “deeeez, nota deeeeez” quem inventou foi o Imperial. Ele morreu faz um belo tempo, não? A imitação vem há muuuuito tempo, e ab ovo…

    Pão com Manteiga, tive de jogar no Google pra entender. Tinha perdido essa…

    Dawran, hoje em entrevista coletiva o Kassab afirmou que “houve falha na segurança”. TEMPOOOOOOOO para os jornalistas pensarem, tic, tic, tic… Não fosse ele explicar novamente, que a segurança estava a cargo da distinta liga das escolas de samba, manchetes cairiam de pau em cima da PM. Infelizmently, dessa vez não deu.

    Schu, cabralizou faz tempo. É da turma que agora só vê o Rio purpurinado, com arranjos de Debussy.

    Dawran, reguinho de fora e memória muito curta a da moça, não?

    Maria Edi, estado de semimarginalidade. Pfui pras torcidas e pfiu pra Gaviões. Aliás, benfeito pra Gaviões. Quem mandou se abaixar até aparecer o fiofó? Ano que vem vai ter de contar a saga do Guaraná Dolly.

    Pão com Manteiga, o pecado do PT agora é achar que tudo com Lula é automático. Não é. E eu sei que é cruel dizer isso, mas a situação atual do cara não ajuda, ouve o que estou dizendo: o povo é cru, direto e binário.

  9. Acho que isso da moça é o tal de isentismo plantado pelo partido no poder hoje. Este, sempre chorava que só os outros eram elogiados e eles, pobres coitados e santos, não. E isso acabou pegando como ato de contrição e muitos passaram a ser isentos descendo o pau em tudo que não é o ou do partido. Ser isento é criticar tudo o que o partido não fez e/ou não faz. Genial.

  10. Leticia, na camiseta de um dos diretores, que deu para ver quando dava entrevista com legenda de diretor da escola de samba, tinha impressa foto da presidente da República. Se quer adorar, pode. Quer mostrar que adora, pode. O que não pode, depois dessa mostra explícita de campanha eleitoral, é dar uma de isento, de perseguido quando for criticado. O enredo foi ruim, o samba ruim e a harmonia foi ruim. Queriam o que, afinal, se a ideia toda foi ruim e só podia terminar tudo ruim?

  11. Dawran, resumo de outra forma: gente que fica de bunda de fora pra bajular quem está no poder. Ainda mais quando há ranços cortesãos.

    O tal padre Justo Mansilla ficou muito ofendido com os paulistas justo por isso. Era espanhol, queria sabe Deus o quê por aqui, e foi devidamente enquadrado no seu cantinho por Raposo Tavares, se não me engano. Junte a isso mais alguns episódios e eis aí outra alma ofendida com o “jeito dos paulistas”.

  12. Nem vi enredo de ninguém, mas acredito. É a lei do menor esforço. Se o tema era de tão grande empatia, podia ser meia-boca que ia fazer sucesso. Esse o raciocínio que saiu pela culatra.

  13. Queria que dona Lúcia Hippolito fizesse uma lista de outras dez coisas que acabam em pancadaria em são paulo, já que euzinha vivo aqui há 43 anos e ainda não percebi esse comportamento troglodita especial em meus vizinhos de perto e nem de longe. Número 1?

  14. A bem da justiça, uma retificação. Revi uma parte das imagens da TV e não era o presidente da escola de samba com o enredo citado que estava com camiseta onde havia foto da presidente da República. Era o presidente de outra escola. Feito o registro.

  15. Né, Donailze? Mulé morta em Nova Iguaçu porque recusou cantada não merece um “credo!”.

    Cidades muito populosas são TODAS rigorosamente iguais. Ficar medindo bobagem em cima de um fato é expediente corticeiro, o que eu não esperava dessa senhoura.

    Dawran, são todos da mesma cepa.

  16. Eu nunca acompanhei Carnaval nenhum, apenas gosto de ver a apuração pela TV e neste ano não foi diferente, adoro tabulações dinâmicas. O presidente da Vai-Vai é quem estava vestindo a camiseta com um retrato enorme da “presidenta”. Fez propaganda gratuita por alguns minutos na TV. Já o enredo da Gaviões, misteriosamente, levou 10 dos 3 jurados, não foi classificado como ruim (se eu fosse jurado, daria zero pra todos os itens de todas as escolas). A confusão ocorreu mesmo por causa do “nível” organizacional e moral da estrutura das escolas, que conta com pessoas que se enquadram em vários artigos do código penal. Deu pra ver inclusive pessoas fumando em área coberta, sendo que até bebuns dos mais xinfrins dos botecos respeitam a lei anti-fumo.

  17. Isso eu não entendo, Cleiton. Os caras ali, numa coisa que, afinal, é séria, ou não?

    Mesas forradas de cerveja. Já estavam pra lá de Marrakesh. Por que isso? Qual a razão? Qual o motivo de tal bundalelê?

    E, não menos importante: quem paga essa manguaça toda?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s