Mal-amada, mal-comida, viado, etc.

Ô, loco!

O bispo de Assis (SP), d. José Benedito Simão, presidente da Comissão pela Vida da regional Sul 1 (Estado de São Paulo) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), disse ao Estado que a nova ministra da Secretaria de Política para as Mulheres, Eleonora Menicucci, “é uma pessoa infeliz, mal-amada e irresponsável”, que “adotou uma postura contra o povo e em favor da morte” ao defender o aborto em declarações dadas à imprensa. Informada, a ministra não quis comentar as críticas feitas pelo bispo. (íntegra)

Bem, se a discussão chegou a esse ponto… está liberada a cascata de chavões contra homens que escolhem uma vida celibatária, não é mesmo?

Vocês percebem que nunca mais toquei no assunto aqui, mas a declaração do tal bispo diz muito e claramente de certa corrente “contra” o aborto, que, a meu ver, faria Jesus corar de vergonha (ver os comentários à matéria) e tem lido a Bíblia muito, muito pouco (Mateus 9:12).

Sabe a impressão que me dá? É que por vezes a postura católica (não me corrijam: ele é um bispo) defende a vida até que ela vença a vagina. Depois disso, você pode ignorar, abandonar, maltratar, explorar e espinafrar à vontade.

Vidas, eu digo.

Ao que parece, o defeito grave da senhora Eleonora Menicucci foi crescer.

Não estou defendendo ou apoiando a posição da Ministra.

Só acho que o tema tem sido tratado, pelos “cristãos de comentário”, de maneira bem pouco cristã. Se a doutrina tem sido defendida por esse tipo de palavrório e mentalidade, e com tal agressividade, está na cara que o cuspe, o legalismo religioso e as ameaças vencerão, à la dois mil anos atrás.

Medo.

Anúncios

14 opiniões sobre “Mal-amada, mal-comida, viado, etc.”

  1. Essa política de compadrio que Dilma Estela vem adotando para formar seu ministério acaba sempre dando com os burros n’água.
    Só porque Menicucci foi “companheira de armas” (risos!) e cela, não quer dizer que tenha competência para gerir alguma coisa.
    Ademais, no que diz respeito ao aborto, a ministra só está compactuando com as idéias já anteriormente expressadas por Dilma e Lulla. Nada de novo no front.

    Nos últimos anos a CNBB vem tomando atitudes sempre na contramão dos acontecimentos mundiais. Quase no fim da debacle comunista, os bispos descobriram-se marxistas! Casaldáliga, Boff, Arns, Hélder Câmara são os exemplos mais notórios.
    Quando for para prestar solidariedade aos facínoras integrantes do MST, os bispos não pensam duas vezes para aquiescer. São camaleões eclesiásticos.

    Ser contra ou a favor do aborto vai do foro íntimo de cada um.
    Particularmente, sou contra. Mas não por motivos religiosos.

  2. Pegou, Schu! A questão a discutir aqui não é o aborto, mas como discuti-lo. Desse jeito, sinceramente, não só representates de qualquer coisa como o povo em geral estão dando um vexame em termos de “amor à vida”.

  3. A verdade verdadeira é que não me sinto confortável quanto o assunto é o Aborto, pois não tenho opinião formada sobre o tema, e não gosto de ficar em cima do muro. ( Afinal uma idosa de 67 anos já deveria ter chegado a uma conclusão) Porém de uma coisa eu tenho certeza não gosto da biografia da dona Eleonora, e nem das muitas declarações dos representantes da CNBB .

  4. Leticia,

    Antes vou deixando claro que sou católico, catequista, praticante etc… não sou católico de IBGE !

    Achei que o bispo exagerou mas como HUMANO entendo esse outro HUMANO. Explico; Não dá raiva ver a Dilma que se disse católica (lembra do episódio da santa né?) e contra aborto colocando, por mero coleguismo, esse senhora no poder e ouvir da boca desta mesma detalhes da vida sexual da filha?

    A lei brasileira já defende o aborto como direito nos casos de risco de morte, e mais, a conduta médica brasileira já trata assim estes casos.

    O que eles querem é meramente replicar o que foi aprovado no Uruguai. E isso no país onde o nascituro tem seus direitos a HONRA defendidos, quem diria a vida! Na boa, é fácil dar uma saída cara, arriscada (pra mãe também) e imoral contra o bebê existindo uma variedade gigante de métodos de prevenção !

  5. Leticia, Faço desse seu site leitura diária,e gosto muito,pois me identifico com suas idéias e opiniões,e escrevo pela primeira vez aqui,só gostaria de dar minha opinião sobre o aborto,que sou contra,não por religião,mas por convicção. Se perguntarmos a Jesus(aliás,sou católico)sua opinião sobre aborto,tenha absoluta certeza que dirá Não,é nisso que me baseio,e me vejo na situação da criança:serei ou não morto!!!dá para imaginar essa aflição???Gerar uma vida é um privilégio dado por Deus a todas as mulheres,não deveriam nem por um milésimo de segundo,questionar sobre matar ou não a criança,deixe a lei dos homens de lado,pois isso é questão de amor,não de papel e caneta!!todos tem direito a vida,para mim isso é inquestionável.

  6. Totonho, mas aí, se é pra enquadrar ele como humano, enquadremo-nos todos, ora… Não estou discutindo aborto. Estou discutindo o linguajar dele e a contradição de ser um “homem de deus”. O entendimento da vida humana e suas circunstãncias iguala o bispo a um tatu-bolinha e lhe retira qq. autoridade para representar quem quer que seja no assunto.

    Ah, Charles, então tudo passa a ser questão de amor. Vamos, então, baseados nisso, resolver a violência (homicídios, maus tratos, exploração, pedofilia), que tal?

    Não me arrisco a ter certezas sobre o que Jesus acha de qq. coisa. Isso é um perigo e descamba para a religião customizada. O que temos dele está na Bíblia. E o que ele deixou não é cumprido nem 0,5%, a começar por seus seguidores, que deviam ter obrigação de ler e interpretar suas palavras um tantinho melhor que a massa, não?

  7. Manter a legislação sobre aborto como está, até que as coisas possam amadurecer. É melhor assim, dado a profusão de opiniões. Não deveria haver questão fechada, os parlamentares votarem com base em sua consciência. Governos e seus funcionários omitir-se de opinar sobre o assunto. Coisa falada vira intenção. O assunto quente, divide opiniões e gera falação desnecessária. Como uma ministra de órgão voltado para gênero, pode falar sobre aborto sem causar impasses? De duas formas: uma delas, acabar com o órgão para assuntos de gênero; outra delas, fechar a boca. E há uma terceira: acabar com o órgão e fechar a boca. Seria o melhor.

  8. A legislação brasileira classifica o aborto, ainda, como crime então essa senhora deveria ser punida por fazer apologia ao crime.
    A igreja tem suas regras de conduta, esse padre deveria ser punido segundo essas regras, simples assim.

  9. Malu campos, o aborto ilegal ainda é criminalizado sim. Só que este é um perigo. Por isso a defesa de dar um tempo. O aborto não pode ser tomado como método anticonceptivo. Isso é que alimenta os procedimentos ilegais. Por isso, melhor deixar como está. Por enquanto. E que o assunto seja encarado com menos ideologia e mais ciência.

  10. Bem, a mulher, como se viu hoje no RA, é aborteira por gosto. Isso a catapulta para fora do governo, é questão de tempo e do quanto os opositores na questão podem berrar. Mas o tal bispo também deveria sumir de cena, não? (opa! esqueci que a Igreja apenas remaneja seus molequinhos que fizeram coisinha errada).

    E aborto, como disse a Malu, não pode ser método contraceptivo (há que se tirar a palavra “método” disso, e só).

    Engraçado que a gente pega um assunto pra Cristo pra não precisar tratar dos outros. A verdade é que este país precisa parar de parir. Reproduzir por aqui não é plano, mas inércia de vida. Quem mais reproduz é quem tem menos condições econômicas, psicológicas e sociais de ter filhos. Criança é coisa séria e isso deveria ser levado em conta. Fazer a criança passa fome, necessidade, pedir dinheiro no sinal, ficar sem carinho, educação, ser abandonada, ou espancada e explorada de várias maneiras, aí ninguém acha homicídio.

    A questão do aborto precisa ser discutida sem política e sem religião. Do jeito que está, fica impossível. Até porque políticos e religiosos, né?, quanto mais fiéis distraídos por aí, melhor.

  11. “Sabe a impressão que me dá? É que por vezes a postura católica (não me corrijam: ele é um bispo) defende a vida até que ela vença a vagina. Depois disso, você pode ignorar, abandonar, maltratar, explorar e espinafrar à vontade”.

    Não é “impressão” não, Letícia, infelizmente não é. É exatamente essa postura mesmo: É a vida q só “vale” dentro do útero da mulher, depois q nasceu, acabou a “causa”, já era, dá o chá de “se-virex” nela, pq não importa mais(haja visto o número de crianças abandonadas nas ruas e q lotam os abrigos por aí, sendo q muitas delas simplesmente “mofam” até os 18, passando a infância e a adolescência INTEIRAS na solidão, sem uma família q os acolha)Não só a católica não, mas a “cristã” em geral, muito desta posição faria Jesus realmente CORAR de vergonha. E haja falta de conhecimento de embriologia humana, desenvolvimento embrionário/fetal, tudo isso misturado com julgamentos, condenações, desqualificações, argumentos totalmente passionais, totalmente destituídos de alguma racionalidade possível(por ex, as milhares de cartinhas de fetos escritores pipocam nas redes sociais por aí). Conheço isso bem de perto, Letícia, convivi e convivo com esse tipo de gente quase todos os dias da minha vida e sei bem do q muitos destes seriam capazes se tudo o q pensam as suas cabecinhas sobre o assunto virar realidade… E ainda tem os q querem q o Brasil seja governado por um “evangélico”, pra atender aos seus próprios interesses e “coceiras morais”(teocracia iraniana? OI?). É assim, as pessoas SABEM q religião e política são uma mistura DESASTROSA, mas não aprendem, por um motivo bem simples: Simplesmente acham q é a religião DELAS q deve estar no poder, não importa a qual… Tudo isso para poder controlar a vida dos outros, se sentirem “moralmente” superiores, qdo elas deveriam saber q neste tipo de governo, é a vida DELAS mesmas q é controlada, e q continua por baixo, só q agora, em escala mais ampliada.

    Enfim, um “rosário” de impropérios, despautérios e desfavores cujas consequências já se provaram e comprovaram bastante funestas… Só faltam aos interessados na tal “interferência cristã/religiosa” na política saberem disso… Ou ADMITIREM isso.

    **OBs:A capslock em algumas palavras não é “grito”, é um recurso de ênfase nestas.

  12. “Não me arrisco a ter certezas sobre o que Jesus acha de qq. coisa. Isso é um perigo e descamba para a religião customizada. O que temos dele está na Bíblia. E o que ele deixou não é cumprido nem 0,5%, a começar por seus seguidores, que deviam ter obrigação de ler e interpretar suas palavras um tantinho melhor que a massa, não”?

    Letícia, aonde eu assino? Bravo! Concordo plenamente! E cá pra nós… De religião “customizada” já estamos todos nós cheios, é religião q proíbe isso pq Jesus falou, depois esse mesmo Jesus permite o mesmo “isso” pra aquela religião outra, pq ele tb teria falado.Exemplos? É o q não falta: Televisão, internet(ora proibidas, ora permitidas) roupa de mulher (sim, o “côro” sempre “come” pro nosso lado), maquilagem(idem), uso de camisinha e outros anticoncepcionais(a católica proíbe pq quer q a galera faça filho geral, q “Deus dá-Deus cuida”, já outras cristãs tb não, embora ainda sim não incentivem o uso deles), envolvimento com política(assim como a TV, teve épocas q era do diabo, agora é “de Deus”, e os crentes tem q tomar o poder)… Jesuscristinho, quanta confusão… Se ao menos se detivessem no q Jesus REALMENTE prega, as coisas não seriam como são hj(e não seriam como foram, desde o início do cristianismo religioso), mas tb provavelmente a igreja não teria um chulé do poder q ainda tem(apesar de ser bem menor do q há séculos atrás), maaaassss… Pra quê poder, se Jesus, o homem q disse “a César o q é de César, a Deus o q é de Deus”, pouco se lixava para a criação de templos em Seu nome e se lixava menos ainda com essa obcessão com o poder temporal, q perseguiu a igreja q se auto-denomina “sua” por muito tempo – e a persegue até hj? Mas não, as ambições humanas chegaram até àqueles q negam a própria humanidade, querendo se fazer santos, tão santos a ponto de só faltar jogar pedra(no sentido literal) nas pessoas, pelo “crime de opinião” de contrapôr seus argumentos.

  13. Morena Flor, conheci um ministro que dizia: Deus não é bom, Deus é justo.

    E justiça não depende do juízo humano. Portanto, a turminha vip está FORA (olha aí o CapsLock) das cadeiras numeradas e não está com essa bola toda pra jogar coisas na arquibancada, sabe?

    Tem de resolver? Sim. O aborto é uma coisa ruim? Claro que é. Mulher nenhuma gosta de ter de passar por isso. Deve ser prática corriqueira? Óbvio que não, isso é barbárie. Porque afronta, em primeiro lugar, a pessoa que se submeteu a ele.

    Mas do jeito que se coloca em certos discursos, eu quero muito saber QUEM está habilitado pra colocar qualquer um no paredão.

    Lembro muito dessa passagem de Jesus, interpelado pelos bonzões. Trocando em miúdos, ele não quer saber dos certinhos, e sim dos pecadores. Rola uma bela ironia aí, não?

    Agora se o interesse da IC é que todo mundo reproduza a não mais poder, problema dela. Grave se meter nos problemas de um país cuja principal mazela é essa mesma: o excesso de desvalidos. Não falo só das crianças de rua. Um simples tapa num ser humano que não tem condições de revidar já dava um belo tratado sobre a iniquidade humana, sobre o pecado e sobre a Justiça de Deus (que, por sinal, não faz exceções a quem quer que seja).

    Ah, tem Jesus! Então, pela doutrina, que a pessoa pense e se comporte como um redimido.

    Esse bispo aí é a reprodução clara dos certinhos que não interessam nem a Deus, nem a Jesus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s