Tem de reagir, sim

O cara da construtora com uma série de comentários inadequados diante das reclamações dos recentes moradores de casas da CDHU em Ribeirão. Trechos da Folha:

[…] Em visita ao conjunto na manhã de ontem, Milton Vieira de Souza Leite, diretor regional da CDHU, disse que os problemas são possíveis reflexos de mau uso.

“A gente conhece o nível de educação [dos moradores]… O pessoal veio da favela. Não está acostumado a viver em casa”, afirmou.

Depois, questionado por telefone sobre a frase, ele disse que a adequação desses moradores no conjunto é uma questão complexa.

“Você não consegue mudar a educação delas [famílias] somente mudando de local.” Segundo ele, seria preciso um trabalho social a longo prazo para resolver isso. […]

Sobre o caso de um morador que afirmou à reportagem, no início do mês, que a pia da cozinha havia caído depois de ele ter colocado uma cesta básica sobre ela, Leite ironizou o episódio.

“O que ele foi comer era outra coisa”, disse, insinuando que a pia caiu durante uma relação sexual.

A frase foi dita em entrevista gravada na frente de oito pessoas, entre elas funcionários da CDHU e da Croma [costrutora responsável pela obra].

Durante a visita, em duas casas havia moradores dormindo, fato também questionado por Leite. “Você viu? Não sei se eles estavam dormindo porque trabalharam à noite ou porque continuam sem fazer nada.”

Leite afirmou que todos os problemas apontados serão reparados pela construtora e que “o benefício está sendo muito maior que o sacrifício”.

Na casa de Lucimara Aparecida de Oliveira, 29, foi constatado o pior caso, de fissuras no entorno de portas e janelas. Elas estão abrindo “buracos” no entorno das portas dos quartos e da janela da sala.

Sobre isso, Leite disse que o problema pode ter sido causado por batidas repetidas das portas.

“Eu acho um absurdo. Aqui ninguém ganhou casa, está todo mundo pagando”, disse Lucimara.

Os beneficiários do programa pagam mensalidades que vão de R$ 50 a R$ 150.

A dona de casa Alessandra dos Santos Fernandes, 32, sofre com problemas de vazamentos nas pias do banheiro e da cozinha desde quando se mudou, em dezembro. “Já vieram arrumar, mas piorou. A casa fica sempre suja.” (p/ assinantes)

Bem, é claro que há problemas e que a CDHU, através da construtora,  tem de resolvê-los. Como também não é difícil imaginar que uma pessoa sem experiência veja um balcão de pia suspenso e ache por bem subir nele para fazer qualquer coisa (e não a piadinha grosseira que o cara achou de soltar).

É um tanto previsível ainda que, diante do kit de finalização (torneiras, sifões, etc.), entregue para instalação pelo próprio morador, haja problemas de instalação.

Até porque, em qualquer classe social, há gente com o que chamamos de mão pesada: não consegue avaliar a resistência dos materiais de acabamento, escangalha qualquer eletrodoméstico durante o uso e, acredite, acha supernormal meter a marreta em vigas e colunas.

Mas daí a generalizar, ainda mais dessa maneira, com direito a chistes, não dá.

Sai mais barato e rápido ir lá, consertar, orientar informalmente e calar a boca.

 

Anúncios

14 opiniões sobre “Tem de reagir, sim”

  1. Esse tipo de gracinha do cidadão da CDHU não tem nada a ver. Que vá lá consertar as coisas, estas, deveriam ser entregues em condições. Se não estiverem, que conserte e cale a boca. Deveriam dar bastante tempo para ele brincar: com uma demissão. A função dele seria ir, verificar, aquentar todas as reclamações, consertar tudo, orientar e depois voltar e ver se os cliente ficaram satisfeitos. Fim de papo. Se alguém sobe em cima da pia, bate portas etc. é uma questão de, ou de reforçar as pias, ou de orientar o uso da pia. Para outras coisas tem cama e se usar a pia, ninguém tem nada a ver com isso, oras. Os tempos não são para engraçadinhos.

  2. Esse tipo de gracinha do cidadão da CDHU não tem nada a ver. Que vá lá consertar as coisas, estas, deveriam ser entregues em condições. Se não estiverem, que conserte e cale a boca. Deveriam dar bastante tempo para ele brincar: com uma demissão. A função dele seria ir, verificar, aquentar todas as reclamações, consertar tudo, orientar e depois voltar e ver se os cliente ficaram satisfeitos. Fim de papo. Se alguém sobe em cima da pia, bate portas etc. é uma questão de, ou de reforçar as pias, ou de orientar o uso da pia. Para outras coisas tem cama e se usar a pia, ninguém tem nada a ver com isso, oras. Os tempos não são para engraçadinhos.

  3. O cara é uma anta. Todos agradeceriam se parasse de pensar.

    Uma pedra de pia é levemente encaixada na parede e tem um reforço, como uma espécie de mão francesa. Depois, se o serumâniu quiser, constrói embaixo e acaba apoiando a bichinha, finalizado tudo com uma linda cortininha. Se tivesse sido mal construída, a bancada caía na hora, já que, pela foto da matéria, vê-se que ela não é de isopor. Acredito, sim, que tenha sido forçada.

    Agora, se o sifão tá pingando, né, fia…? E se não é a companhia a instalar a bagaça, estão fazendo tempestade num copinho de pinga.

    Eu não sei se tenho um desvio comportamental, mas costumo limpar sifão. Sifão, ralo…. Me diga, sou doente?

  4. Um desaperto, uma limpeza, um rolinho de fita de teflon, um aperto e tá lá!!! Sifão novo em folha. Deixar um vazamento daquela forma e ser fotografado só pode ser brincadeira. E o cidadão da empresa deveria pegar a mala e cair fora.

  5. Não é, rapazes?

    Mas eu acho que os moradores deveriam, sim, fazer um levante: o kit finalização não veio com fita teflon nem grifo. AVANTE! RESISTIREMOS ATÉ O FIM PELOS NOSSOS DIREITOS! PELO SOCIALISMO JÁ, PELA DERRUBADA DA ELITE FASCISTA!

  6. Um sifão custa uns 7 reais, se muito.

    E até um completo inepto como eu em assuntos hidráulicos, o troca sem maiores dificuldades.

    É certo que nesse caso não é só o sifão. Mas também é fato que tem muitos “pobremas” que os donos dos imóveis podem muito bem resolver por si mesmos, até porque, quem paga entre 50 e 150 pilas por eles pode muito bem aprender, mesmo na marra, a fazer manutenção.

    Também não gostei das declarações do moço da CDHU, porque tenho comigo que agente público NENHUM pode fazer piada sobre o serviço dele, mas o que ele deixou claro é que tem muita gente que tá achando que a manutenção do imóvel também é por conta da CDHU, que por sua vez, apenas o constrói… daqui a pouco vão pensar que o IPTU também é por conta…

  7. Mas Fabio Mayer, o cidadão da CDHU deveria tomar nota e acionar as áreas de planejamento familiar, aconselhamentos do lar, atendimento psicológico, para que a pessoa aprendesse a rosquear um sifão. Boa parte das pessoas, sem medo de errar, trabalha de pequenos serviços de pedreiro, encanador, faxineiro etc. Se foi prometido o kit para eles mesmos instalarem e o kit não foi dado está errado. Mas, isso não é caso de encrenca. É caso de reclamação de cliente. Assim, o cidadão da CDHU deveria ensinar como se faz. Ou cobrar o empreiteiro a entregar o que foi licitado. Se o kit foi entregue e foi jogado fora, danificado, ai o beneficiário que de conta.

  8. Eu sou da opinião que quando forem entregues os apartamentos e casas do CDHU, seria bom que os assistentes sociais acompanhassem por um período os moradores para verificar as condições do imóvel,se preciso for orienta-los sobre conservação , limpeza, normas do condominio,etc. Talvez até aprender a cuidar das aréas externas que são de todos.Afinal para muitos a mudança é radical, pois vão sair de um barraco num lugar sem higiene nenhuma, para o que se espera seja um verdadeiro LAR

  9. O cidadão que falou as abobrinhas, foi demitido.
    Só não sabe-se se as pessoas aprenderam a desatarraxar, limpar, passar teflon e atarraxar o sifão.

  10. Dawran, Iolita e Fábio, a entrega de casas populares, médias, financiadas particularmente ou não, mansões, resorts e castelos no Lago Constança nunca foi uma questão metafísica. Só é agora, em época de eleição.

  11. Taí, Leticia. A CDHU deveria passar a construir casinhas lá na fronteira da Alemanha, com a Áustria e Suíça. E ainda o Lago Constança é atravessado pelo rio Reno…Já dá para imaginar quem teria coragem de não aprender a limpar um sifão e a usar a pia com moderação…hehehehe…

  12. Taí, falando em usar a pia, questionamentos filosóficos me vêm à cabeça quando vejo pia cheia de casca de hortifruti misturadas com água, pó de café, etc. Custa descascar, despelar, tirar caroço e BOTAR NO LIXO de vez? Não. Fica toda aquela meleca e muita coisa acaba indo pelo ralo.

    Sem falar de gente que usa privada como lata de lixo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s