Dê seu palpite!

Quando se pensava que a tampa de privada era pois demais definitiva, eis que surge:

a) um prato de salada

b) um satélite

c) um tupperware

d) um cinzeiro de casca de coco

e) uma arandela

  • Foto (Ben Stansall/France Presse): Princesa Beatrice no casório de Zara Phillips, neta da rainha Elizabeth, hoje, na igreja paroquial do Castelo de Edimburgo.

Na Jecolândia motorizada

Morreu na noite de ontem o rapaz Vitor Gurman, atropelado no último sábado na rua Natingui, em Vila Madalena, por um jipe – sim, um jipe; esse negócio de imprensa se referir ao automóvel pela marca também é jeca.

A motorista “perdeu o controle da direção”. Se recusou a fazer o teste do bafômetro. Policiais atestam que ela estava embriagada. Logo após o atropelamento, ela demonstrava preocupação apenas com o namorado ferido no banco do passageiro. 

Posteriormente, no IML, constatou-se a embriaguez.

Pra quem não conhece, a rua Natingui é uma minhoca. Apesar de estreita, com algum comércio e muitas residências miúdas, é longa, cheia de curvas, e uma das principais descidas entre o bafafá de Vila Madalena e as vias mais amplas do “Alto” de Pinheiros – que, apesar do nome, fica praticamente no nível do rio (Pinheiros). 

A velocidade máxima naquele trecho é de 30 km/h.

Mas não só Puttylaines e Merdsons de cara cheia circulam em vias pequenas a toda velocidade. Nas minhas caminhadas, muitas vezes logo de manhãzinha, fica patente o déficit cerebral dos motoristas “comuns” – descansados, bem dormidos, e tal – andando a toda em ruas estreitas, cheias de curvas e plenamente residenciais.

O pedestre, mesmo em horários ditos de pouco movimento,  tem de ter ouvidos apurados, muita atenção e disposição férrea para andar só em calçadas – muitas delas amontoadas de equipamentos que tornam impossível a passagem: piso malfeito, lixeiras, canteiros intransponíveis, fora o entulho (adoramos deixar entulho nas calçadas).

Na segunda-feira tive de ir até a Inácio (Pereira da Rocha). E fui a pé mesmo, descendo pela Natingui. Lembro de ter reparado nessa casa de cacos da foto, por causa do muro torto. Não sabia o que havia acontecido com o rapaz. Me virei por calçadas estreitas, e olhava mil vezes antes de atravessar.

A minha parte eu estou fazendo.

Só gostaria de saber QUANDO os motoristas desta cidade (e do país) vão enfiar na cabeça que dirigir um raio de um automóvel exige RESPONSABILIDADE  e a aceitação de certas verdades da vida: saber interpretar placas de trânsito, saber para que serve faixa dupla, saber que não pode manobrar em calçada, olhar no espelho na hora da ré…

Ninguém quem saber de suas picuinhas diárias, fia… Você MATOU uma pessoa por um motivo absolutamente idiota.

A verdade é a seguinte: cada vez mais gente cujo cérebro de ervilha não acompanha a melhora do poder aquisitivo. Permanece aquela ignorância que não depende de estudo formal: o jequismo ancestral, achando que sua vidinha impera no mundo e que tudo à sua volta deve se encaixar em SUAS circunstâncias: eu estava nervosa, eu havia brigado com o namorado, eu juro que não bebi, em pago minhas contas, não sou bandido, eu isso, eu aquilo… 

PORRA!!!

Sorte que pelo menos o Estado está mudando de comportamento: a phopha responderá por homicídio doloso.

Resta saber se vai presa. Ou de quanto será a fiança desta vez.

PS.: Só pra constar: Vila Madalena orkutizou de vez. Agora só atrai quem não interessa.

Tarda mas não falha

A ternéti é algo tão bom para conectar pessoas, informar,  opinar, trazer novas abordagens, e tal.

Mas também é uma latinha de lixo…

Eu mesma, se fosse processar todo mundo que me esculhamba (desde motivações políticas até as frustracionais-adiposas, passando por egos maltratados pela vida), não faria outra coisa nessa existência.

Falar a verdade, ações na justiça contra calúnias e difamações na net não dão muita grana. Pelo menos no mundo dos anônimos.

Mas, porém, contudo, em muitos casos a pessoa para o que está fazendo e encara a chateação dos tribunais por questão moral. E acho que está certo.

Para ilustrar (e à propos do que conversamos aqui desde ontem), dois links:

 Aqui (via @claudiotognolli)

e aqui.

Testando…

 

A ponte estaiada Orestes Quercia, na Marginal Tietê, foi aberta ao público ontem.

Belê.

Além das pessoas de direito – dona Alaíde e filhos, o prefeito, o governador e envolvidos diretos, os ex-governadores Serra e Goldman -, havia os envolvidos indiretos, como a vice-prefeita Alda Marcoantonio, o vice-governador Afif Domingos, o vereador paulistano Antonio Goulart (“Mas fui eu quem sugeri a homenagem!” “Tá, então passa, vai!”). O senador Aloysio Nunes Ferreira.

Mas também um monte de gente que, sinceramente…

O ministro da Agricultura (!#%!), Wagner Rossi; Michel Temer, Baleia Rossi (presidente do PMDB em São Paulo), líderes regionais do PMDB de todo o estado; os secretários do Alckmin… e mais Eduardo Suplicy, Gabriel Chalita, Paulo Skaf, Paulo Maluf…

Então não foi uma inauguração, foi um teste de resistência! Sorte que nenhum estal arrebentou.

  • A renca toda eu tirei da Veja.
  • E a foto (Marcelo Scandaroli), da Piniweb, onde se pode ler sobre os detalhes técnicos da construção.

Momentinho divã

Me diga se estou louca, mas qual a mulher de HOJE que, em sã consciência, cede a um suposto desejo do recém-marido de INTERROMPER uma carreira profissional de sucesso?

Tá certo que, se aparecer um homem lindo, apaixonado, generoso, podre de rico num castelo na Suíça, você não vai bater seu pezinho lib ou queimar sutiã de bojo em prol da sua vaga de telemarketing ou no caixa no posto de gasolina (coisa em que já trabalhei).

Daí agora a moça está lá, sem filhos, em plena for da idade, se consumindo por uma pensão de 50 pilas na barra dos tribunais.

Ah, para!

Onde foram parar os anos sessenta, mel Dels?

(Agora dá licença que vou voltar pro furdunço diário e sem hora pra acabar. Pobrinha, lascada, mas orgulhosa. Só cobro se se tratar de lauda. Por nada mais.)

Revendo uma posição

Aproveitando que finalmente consegui fazer as unhas, dou minhas duas mãos à palmatória ao Tenente Marcos Palumbo, do Corpo de Bombeiros de São Paulo.

Eu o havia criticado por estabelecer comparações entre o treinamento antibomba feito semana passada no Hotel Hyatt e a tragédia na Noruega.

Ele relevou, eu mantive minha posição, e estabeleceu-se aqui um relacionamento cordial. Não haveria de ser diferente, já que este blog reconhece os Bombeiros e a Polícia Militar paulistas, de longe, como as melhores corporações do Brasil.

Depois, porém, que vieram a lume pensamentos do demente da Noruega afirmando que o Brasil é um país disfuncional por causa da mistura de raças, não tenho outra atitude mais honesta do que concordar com o tenente.  

Ele nos deixou a seguinte mensagem:

Ten Marcos Palumbo – Corpo de Bombeiros says:

Olá Letícia e a todos do Flanela Paulistana

Pela manhã ouvi na Rádio Band News a triste notícia “sobre a mistura racial no Brasil é catastrófica” palavras do Atirador.

Infelizmente vamos ter trabalho por aqui hein.

Abraço

Então, deixo registrado aqui que volto atrás em minha posição. Podemos, sim, esperar algum maluco aportando no Brasil para tentar fazer  justiçamentos esquizofrênicos.

A declaração de Breivik a respeito do Brasil também serve de lição a alguns tipos de pensamento que se publicam por aí sem o menor senso de consequência.

Assim como políticas raciais oficiais são conceitualmente equivocadas, seu “contrário” também o é.

O problema do Brasil não é raça, origem, costumes. O problema do Brasil é falta de educação, o obscurantismo e a consequente miséria de intelecto geral, que afeta todas as camadas sociais em todas as regiões.

Com essa – veja só! -, passaremos direto do atraso  pra a barbárie. Uma encruzilhada, já que a mistura de raças era a única coisa que tínhamos de revolucionário e, agora, parece que “descobriram”.

Ainda desagradará a gregos e troianos. É só questão de tempo.