Adoro isso!

Não sei o que impede o Brasil de ser um potência empreendedorística. Talvez seja um círculo vicioso entre a mentalidade em certos bolsões X nossa ainda estranheza com o mundo dos serviços X a mentalidade governamental, ao sabor das gestões pífias, que grosso modo consideram o empresário um ladrão. 

Talvez seja isso que manteve o Engenho de Dentro, bairro pacato do subúrbio carioca, exatamente como está. O fato de haver ou não Engenhão por lá não alterou a paisagem local.  Não se abriu uma padaria, um restaurante, uma lavanderia… Também pudera: o estádio, ao que parece, é subutilizado (acho eu, dentro daquela velha mania de considerar só uma parte da cidade: a orla); o que não compensa pra nenhum comerciante do entorno. Tentativas até devem ter havido, mas o fato é que a coisa murchou por (falta de) vontade geral.

O mesmo não acontece com Itaquera. Apesar de todo o bololô, o vai-não-vai da construção do Itaquerão (mas que uma hora sai), os comerciantes locais não pensaram duas vezes: pegam empréstimos e estão ampliando os negócios para receber o público para a Copa:

O comerciante Carlos da Silva Ribeiro, de 63 anos, não hesitou em adquirir um empréstimo de R$ 15 mil para investir no seu pequeno comércio de hortifrutigranjeiros, refrigerantes e produtos de limpeza, localizado em um terreno invadido na Avenida Miguel Inácio Curi, onde o estádio deve ser erguido. Ele observou um aumento nas vendas de cerca de 30% nos últimos dois anos depois da construção de um condomínio residencial e acredita que a construção da nova arena impulsione ainda mais suas vendas. “Meu comércio já aumentou bastante e estou trabalhando para aumentar ainda mais. Ontem mesmo funcionários do banco passaram aqui e me ofereceram um empréstimo. Eu aceitei. As vendas devem aumentar e, por isso, eu tenho que acompanhar. Não pode ter medo, não é?”, disse.

O dono de uma padaria local também se lança:

“Já vieram me procurar para saber se eu poderia fornecer o pão para a obra. Imagina todos os funcionários trabalhando para construir o estádio em três turnos? A tendência é aumentar muito o fluxo de pessoas por aqui”, afirmou. Assis pretende reformar a padaria, mas ainda não sabe quando deve colocar os planos em prática. “Eu quero dobrar a minha capacidade de atendimento, mas reforma deve vir aos poucos”, disse. O comerciante busca um meio para melhor atender clientes estrangeiros que não dominem o português. Seus funcionários não falam outras línguas, mas Assis já vislumbra uma alternativa. “Eu pretendo colocar meus filhos no inglês”, disse.

Não, não pode ter medo. Tem de apostar e encarar, com criatividade.

  • Foto (Leticia Macedo, G1).
Anúncios

23 comentários em “Adoro isso!”

  1. Isso lembra o filme O Banheiro do Papa.
    Mas, é isso mesmo Leticia. O empreendedorismo, a engenhosidade, muitas vezes movem a economia local a regional e até a nacional. Porém, ainda há forte viés contra o comerciante, o pecuarista, o agricultor. Banqueiro, então, nem falar pode. Já consultor, pode até ficar rico…hehehehe…

  2. Em terras macunaímicas, economia de mercado ainda é coisa incipiente.
    Negócios privados sempre esbarram na burocrática e ineficiente ingerência estatal.
    Sem falar na asfixiante carga tributária que manieta e engessa qualquer iniciativa empreendedora.
    É um capitalismo de araque!

  3. O caso do Engenhão é sintomático.

    É um estádio. Um belo e moderno estádio… mas só!

    E o que agrega público no dia a dia são áreas de lazer e consumo, ou seja, um estádio deve ser acompanhado de lojas, restaurantes e serviços públicos relevantes (Receita Federal, INSS, Ministério do Trabalho, Posto de Serviços da Prefeitura) que “puxem” o público para si todos os dias e que apresentem facilidades que convençam as pessoas a escolher o seu caminho, dentre as quais, as mais importantes:

    a) facilidade de acesso;
    b) estacionamentos.

    Bem, no caso do Engenhão, não houve preocupação em dotar o local de serviços, e havia um projeto de facilitar o acesso com linhas de ônibus e metrô que, claro, foram canceladas por falta de verba, mesmo o estádio tendo custado 10 vezes o orçamento inicial. Resultado: um estádio no meio de um lugar longínquo e sem maiores atrativos…

    …esperemos que não seja este o destino no Fielzão. Se bem que Itaquera já conta com linha de metrô e Sampa é MUITO, mas MUITO MAIS séria que o RJ, de modo que pode-se acreditar que haverá, sim, obras de mobilidade urbana capazes de facilitar o acesso ao local.

    Imaginemos o Fielzão (e eu sou contra ele, porque sou contra a Copa) no centro de uma área da cidade que receba serviços públicos e atraia público, com o estacionamento do estádio funcionando para controlar o fluxo dos veículos em volta. É mais ou menos assim que se pensa uma obra dessa magnitude. Se SP pensar assim, por mais que custe caro e sirva para essa… copa dos burros… ainda assim se deixará um legado para a cidade, coisa que não aconteceu com o Engenhão, que é um elefante branco!

  4. Olha, o estádio de Itaquera, pode não passar de um mico. O time não tinha, não tem e pode ser que não venha a ter recursos e nem capacidade para atrair investimentos privados para o empreendimento. Desde que o Brasil foi escolhido para a Copa2014, nada foi realizado, nem após a entrega do tal “caderno de encargos da FIFA”. O presidente do time fica falando enviesado, deixando nas entrelinhas que o governo do Estado e a Prefeitura poderiam entrar com recursos. Governador e Prefeito, para variar nem negam nem confirmam. Mas, há notícias de isenções fiscais da Prefeitura, o que seria recurso público. o ministro do Esportes também pressiona e os governantes ficam na moita.

  5. De todo modo, com ou não estádio, os “empreendedores individuais”, formais ou informais estão buscando já o seu espaço. Ou seja, o entorno que seria organizado e equipado e melhorado pelo Poder Público, está sendo ocupado por atividades que podem crescer e depois ficar difícil de resolver. Com Copa ou sem Copa.

  6. Agora, no SPTV. O terreno de Itaquera, previsto para o tal estádio, é cortado por vários tubos de transporte de combustíveis da Petrobras. A retirada estimada em 120 dias. Pois é. E ninguém sabia!!! Impressionante.

  7. Aquele terreno imenso pertinho do Metro Itaquera é um mistério. A estação chama-se Corinthians Itaquera por causa do estádio que seria construido lá no tal terreno
    Mas o bairro não ficou esperando tal acontecimento e foi se desenvolvendo mesmo assim, tanto que tem um shopping center junto a estação.Tenho dúvidas quanto a construção do estádio, pois o meu Palestra está reformando o dele , a querida Portuguesa tem estádio, o São Paulo,e até o querido moleque travesso que é o Juventus tem, mas o tal time do parque são jorge só quer se aproveitar do Pacaembu. Cade o dinheiro que sócios ,torcedores,patrocinios, etc,etc, trazem para o clube?

  8. Ora, é só conclamar Nine Fingers – guru-mor do ‘Coríntia”- pra dar uns pitacos, que a coisa desencalha.
    O famoso epíteto – Pátria em Chuteiras”- de Nelson Rodrigues, parece que ficou como um estigma, uma maldição.
    Nenhum assunto ocupa mais espaço na televisão brasileira e na mídia em geral, do que futebol.
    Também sou contra a Copa e as Olimpíadas em nosso país. Apesar dos efeitos colaterais benéficos de tais eventos, as carências estruturais em setores básicos como Saúde, Educação e Saneamento, são imensas. Por isso mesmo deveriam ser prioritárias. Bilhões irão pela linha-de-fundo num desperdício insano.
    Mas, a fórmula mágica, pão e circo, continua rendendo demagógicos dividendos políticos aos plantonistas da ‘Granja dos Tortos’!

  9. A CBN deu agora, que o centro de transmissão da Copa será no rio de Janeiro e que São Paulo está fora da Copa das Confederações.

  10. Iolita,
    Blefaram com o estádio durante as eleições presidenciais de 2010. Agora, como chegar e trincar com a bufunfa não dá, o governo federal está na pindaíba, querem jogar a conta no colo do Governo de São Paulo e da Prefeitura. Pois, se eles não reagem, o negócio é arriar o porrete, sem dó: mandem essa Copa2014 lá pros quintos!!!Daria muito bem para aproveitar o Morumbi, que está pronto e reformas não seriam assim tão caras. Ou mais baratas do que construir algo novo como essa lorota do Ita-quer-aqui-ó!!!

  11. Leticia, estou hoje em Porto Velho – RO, pois fui ontem acertar algumas coisas em Jirau, na obra da hidelétrica. O fenomeno que acontece por aqui é complicado também. Ou será, num futuro bem próximo.

    Graças as obras de duas hidrelétricas na região, a cidade, com aproximadamente 450.000 habitantes e nenhuma empresa geradora de riqueza, pois aqui se vive de prestação de serviços ou de cargos públicos (aos montes!), viu entrar migrantes de várias cidades com grana para gastar. Por aqui, as concessionárias estão lavando a égua de vender carros financiados em 50 meses, e a caixa tem batido todos os recordes de financiamento. São prédios novos e condominios sendo construídos para todos os lados, tudinho financiado pelo banco. Tem gente financiando imóveis novos em 20 anos, com apenas 10% de entrada, somente para locar aos novos moradores.

    O problema será daqui há dois anos, quando essas obras acabarem e a maioria das pessoas qualificadas e com poder de compra for embora. Quero só ver quem vai pagar essa avalanche de financiamento. Aguardemos 2013.

  12. “O terreno de Itaquera, previsto para o tal estádio, é cortado por vários tubos de transporte de combustíveis da Petrobras. ” Quer dizer que, quando houver o “lançamento” do estádio, vai ser um “estouro”???
    Olha, eu estou há 54 anos neste cisco sideral e desde então eu tenho ouvido falar no “estádio”. O que me deixa “verde” de raiva é que eu, palestrina de sangue, pagarei por esse elefante branco. Eu também gostaria que essa Copa fosse para outras terras. Por que o Brasil precisa mais de hospitais, escolas, estradas e segurança. E Copa não vai trazer nada disso.

  13. E mais uma vez vamos ter bagunça amanhã na Paulista. A manifestação preparada pelos maconheiros, já foi considerada ilegal pela justiça. Os caras da maconha vão tentar parar a avenida, e os policiais, em cumprimento ao dever, terão que paralisar a bagunça nem que seja na borrachada. E claro que aparecerá aquela foto do fofinho com cabelinho amarrado levando uma gravata do policial, ou da mocinha com marca de bala de borracha na perna, etc. Tudo muito bem colocado no blog do tocador de bandolim, acompanhado de um texto companheiro, culpando a polícia pela violência, tendo o Serra como cereja do bolo em seu final.

    Isso tudo é um saco! Um dos lugares que eu e a galerinha de casa gostamos de ir é na Livraria Cultura, que fica quase em frente ao Masp, local onde essa cambada costuma organizar a quadrilha para a bagunça. Talvez esteja na hora dos comerciantes da região, que creio, pagam o IPTU mais caro Brasil, se organizarem para cobrar na justiça o prejuizo causado por esse bando de desocupados. Acho que com um pouco de investigação a policia chega rápido aos organizadores do tal evento. E quem sabe na próxima, eles vão parar a rua da casa de cada um deles.

  14. Comentário geral: os dutos da Petrobras no Itaquerão são absolutamente conhecidos da Prefeitura e o problema é perfeitamente contornável. Isso disse o Prefeito. Confio mais na palavra dele do que na pantomima da imprensa.

    O Poder Público não entra com dinheiro no estadio de jeito nenhum. Pode tirar a Copa das Confederações, o centro de transmissões, pode o Ministro pressionar, o diabo. São eles quem precisam de nós, e não o contrário. A cidade é grande demais pra se mobilizar inteira para um só evento, por mais importante que seja.

    Itaquera se desenvolvendo, com ou sem estádio – o que é perfeitamente plausível, porque a Zona Leste “anda” sem parar, inclusive com bolsões classe A -, a Prefeitura complementará a infraestrutura, que é o que lhe cabe. E só.

    Claudio, desenvolvimento em Jirau não rola. Se algo restar, será como o entorno de Brasília, com todo aquele miserê. O que é uma pena. O Brasil precisa demais de novos polos de desenvolvimento, produção, com indústrias, comércio decente, serviços… E gente com garra pra fazer tudo isso.

    Quanto à marcha da maconha, os defensores fazem uma tremenda confusão entre liberdade de expressão e apologia ao crime. É crime, pô! Tá na lei. E descumprirão uma decisão judicial. Quer dizer: reivindicam a legalização, mas não querem saber de seguir a lei. E pode apostar, amanhã vão extrapolar de novo do vão do Masp e levar porrada. Aí vem o mimimimimi, manipulado pelos mesmos de sempre.

    Legalização pra quê? Maconheiro antigamente era tão bom… Os caras era super gente-fina, educados e na deles. Eram coerentes, pelo menos. Ah! E a maconha também era “daboa”. Hoje é estrume de vaca.

    Só fico pensando se um dia legalizare. Comofaz? Vai poder fumar onde? Se puder debaixo da marquise do Conjunto Nacional, aí eu chio!!!

  15. Leticia, concordo de fio a pavio com você e repito. Que essa tal de Copa2014 ai, vá pros quintos!!!. E repito mais uma das milionésimas vezes em que já foi dito a mesma coisa: O Governador e o Prefeito, não podem ficar sem dar resposta cabal às provocações e acusações e às pressões. O tal estádio, ao que cheira, foi uma jogada político-eleitoral. Então que o presidente do time, se aceitou a jogada, agora se vire e pare de ficar mandando mensagens sub-reptícias, tentando colocar a bola dentro dos cofres do Erário Público, com apoio de áreas federais como, o ministro dos Esportes. Que o Governador e o Prefeito saiam desse marasmo de bons moços e arriem o porrete nessa turma de cupins, chupins, vivandeiras, parasitas…

  16. São Paulo seria uma sub-sede da copa apenas com o novo estádio do Palmeiras, cujas obras devem ficar prontas inclusive para a Copa das Confederações e SEM dinheiro público!

    Mas insistem no Itaquerão, com a desculpa de abrir o evento. O Corinthians não precisa do Itaquerão, ele joga muito bem no Pacaembú como sempre jogou em mais de 100 anos de história e isso não diminuiu sua grandeza.

    É a tal coisa, a FIFA não pode prescindir de Sampa, porque em Sampa, estão os maiores (e melhores, embora isso não signifique muito) aeroportos, os hoteis mais badalados, as melhores casas noturnas, os restaurantes mais afamados e a população mais rica… quem é doido de rejeitar algo assim?

    Eu sou contra a Copa2014. Só o que está sendo jogado fora em estádios, daria para fazer um GIGANTESCO programa habitacional que retiraria moradores de áreas de risco e abriria caminho para ações de recomposição ambiental onde antes existiam favelas. Basta dizer que as cadeiras que a FIFA exige para a Copa têm partes móveis, tal qual cadeiras de cinema. Estas partes móveis, serão ARRANCADAS por torcedores para tacar na cabeça de outros depois da copa, mas isso ninguém pensa, e muito menos se pensa no custo disso tudo.

    O Brasil, se pegasse esse dinheiro da Copa poderia fazer as mesmas intervenções urbanas e melhorar por si mesmo sem a batuta da FIFA, mas preferiu o caminho da construção de estádios que ficarão sub-utilizados ou abandonados, para beneficiar a apenas uma classe, a política!

  17. Lets, maconheiro, se quiser dar um ‘tapa na macaca’, vai ter que achar uma caverna pra queimar um baseado!
    Aqueles que fumam – cigarro comum, legalizado – já estão sendo estigmatizados e segregados em todos os ambientes. Eu nunca pensei que viveria para ver isso! Nem tudo está perdido.

  18. Meninos, eu acho assim: tá certo que se faça uma coisa ou outra pra receber a Copa. E é de lamentar que a Phypha tenha escolhido o Rio para o centro de transmissões, e tal. Isso é uma coisa.

    Agora, uma cidade só andar aos tropeços, à custa de grandes eventos, é uma tristeza. Quer dizer que no resto do tempo NADA precisa ser feito, entende? Acho que o Rio embarcou nessa, por puro populismo lulesco e cabralístico. Se a Copa vai ser coisa boa pro Rio, ótimo. Mas em SP não dá pra se mobilizar tanto assim em torno de uma só coisa. Tem de planejar, inclusive vendo o pós-Copa. Se for um elefante branco, não entra – pelo menos com dinheiro público -, e adeus.

  19. Exato, Schu! Logo logo nem na ilha no meio da Paulista vai poder mais fumar. E ai de quem deixar entrever um maço de cigarros na bolsa: será regiamente linchado em praça pública.

  20. O que se nota é que o governo federal quer que o dinheiro público de São Paulo entre de sola na Copa do Mundo, há uma pressão para que o estado e o município assumam o encargo que o lulismo trouxe para o Brasil…

  21. Sim, Schu. E não acho de todo mau lembrar que o ópio foi usado na China, no tempo do imperialismo, pra arriar o povo. Só um detalhe.

    Ah, Fábio, quer sim! A gente já anda numa pindaíba de prioridades, não é certo mobilizar a cidade acima do razoável pra uma coisa que só dura um mês. Legal seria fazer uma big Virada Cultural ao mesmo tempo, só pra azucrinar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s